"Deus me respeita quando eu trabalho. Mas me ama quando eu canto."

sábado, março 20, 2010

Essa não dá para deixar passar!

MARISA FASHION
O vestido da Primeira Dama merece uma CPI

por “the passira news”

Alguém precisa investigar quem comete esses atentados contra a mulher do presidente Lula, principalmente nessas ocasiões mais solenes, como aconteceu há poucos dias no jantar que a família real da Jordânia ofereceu ao casal brasileiro
Lady Marisa sucumbe ante a simplicidade majestática da rainha Rania

Toinho de Passira

Como dissemos em outras ocasiões não queremos, com nossos comentários, ridicularizar, nem mesmo debochar de Dona Marisa, pelo contrário, quem a veste dessa maneira é que a está pondo numa situação vexatória.

A primeira Dama é uma pessoa simples, e como tal não está obrigada a conhecer as futilidades do mundo fashion e da alta costura. Dona Marisa já comprovou, muito antes, quando escolheu o companheiro, que bom gosto não é o seu forte.

Até se pode perdoar que nos primeiros eventos ela tenha se atrapalhado e não tenha se apresentado a altura do que se pode exigir da mulher que representa diplomaticamente o Brasil, nesses encontros internacionais, tão exageradamente fartos, nesse governo Lula.

Mas agora depois de sete anos de batente, não se pode perdoar que a própria primeira dama, o marido dela, alguma amiga, alguém do cerimonial do Itamaraty, não possa ter interferido positivamente por as coisas no devido lugar.

Como quase sempre Dona Marisa exagerou. O seu vestido balofo e estratosférico foi posto no pior momento, justamente ao lado de uma das mulheres mais elegantes, bonitas e discreta do mundo, a rainha Rania, esposa do rei da Jordânia, Abdullah II.

Postas lado a lado, de corpo inteiro, a evidencia do mau gosto da nossa primeira dama fica mais gritante. A rainha que sempre coloca em seu blog fotos das mulheres que visitam o seu país, poupou a nossa primeira dama do vexame e "esqueceu" de registrar sua passagem pela Jordânia.

Precisa ser preso, numa cela de segurança máxima, sem direito a cateterismo, estilista, homem ou mulher, que ao ver dona Marisa nesse vestido, tenha exclamado falsamente: “DES-LUM-BRAN-TE!” (Estilistas sempre separam as sílabas quando estão enganando a cliente.)

Não temos dúvidas que esse vestido foi muito caro. Também não temos dúvidas que foi pago com cartão corporativo. Portanto foi com nosso dinheiro que essa coisa “hor-ro-ro-sa “, foi comprado e nos representou naquela noite de gala no Palácio de Amã. Sentimo-nos envergonhados e humilhados pelo vexame que ela passou.

Fonte: the passire news”

Em concordância, acrescento: Eita povo que gosta de "tirar uma onda" com esse casal! Se há gente que abriga cobras e as cria, é a família "Luis Inácio da Silva"!

Só se pode achar que - dona Marisa, A Inútil, matém em seu palácio bons inimigos, que restam por detrás dela a gargalharem, e, Marisa, "A Inocente inútil" é tão simples, mas tão "simples" que nem se dá conta das peripécias de suas(seus) inimiga(o)s.

Mas ai eu pergunto: e precisam? Preocupações tolas e "fúteis" não frequentam nem a massa encefálica do marido e muito menos de sua digna primeira dama! Estão de "malas prontas e muito bem feitas"! Haverão de viver o que lhes resta de vida, como o "povão", que eles adoram mencionar, diz: "numa boa"!

O mal que um fez ao país e o "nada" que a outra prestou para a Nação...eles nem tem consciência disso! Muito menos ela, porque, do contrário, haveria de ter aprendido ao menos o mínimo - vestir-se corretamente.

E vamos combinar: a mulher tem mais sorte do que dá a parecer! Talvez porque já conhecesse a "lenda D. Marisa do Brasil", a rainha vestiu-se tão simplesinha, mas tão simplesinha, que eu até compreendo que ela não tenha publicado em seu blog o "favor" que fez para a "primeira dama do Brasil"

Sinceramente? Marisa mais se parece a um abajur que se ganha de uma tia já idosa...Aquela coisa que você se pergunta: "Onde isso cabe, onde posso colocar isso?" Sinceramente? Gargalhei com o modelito!!


segunda-feira, março 08, 2010

“Tenho todos os defeitos de uma mulher perfeita”

dia da mulher

Dia Internacional da Mulher
Lucia Helena dos Santos

As flores irradiam a glória e a beleza de Deus-Mãe, pois ela

caminha sobre a Terra em cada mulher.

Mulher!

Todos os grandes senhores te reverenciam no dia de hoje,

pois eles nasceram do teu ventre.

Mulher!

Além de todos os poderes cósmicos, levas dentro de ti a

semente sagrada que provê a vida.

Tu és o mais belo pensamento de Deus.

Teu coração é manancial de sabedoria.

De teu íntimo brota a força amorosa que nutre, regenera

e ressuscita.

Homem!

Neste dia internacional da mulher, lembra-te que podes

divinizar-te pela admiração da mulher.

Estás aflito?

Recorre à mulher. Ela é o consolo dos aflitos.

Estás enfermo?

O toque da mulher é curativo.

Queres descobrir os mistérios da Divindade?

Busca compreender o coração da mulher.
Porque quem não reverencia a mulher, fecha as portas à

graça e à beleza.

Mulher!

Ao olhar-te no espelho, reconhece ali a Mãe Divina!

Mira-te nela!

Encarna com dignidade os dons femininos de amor, fidelidade, pureza, sensibilidade, compreensão, delicadeza, generosidade, doçura, abnegação, serenidade e o dom de tudo embelezar.

Mulher!

Não te deixes corromper pela futilidade e mediocridade

do mundo.

Aumenta ainda mais tua força, apreendendo as virtudes dos

homens, mas nunca os vícios.

A regeneração do mundo depende de ti, pois tens o poder

de moldar o caráter de um ser, desde o teu ventre e por

toda a sua vida.

Podes transformar teu lar num templo da

Divina Missão de Amor.

Quando defendes tua dignidade, defendes a dignidade de

cada ser humano .

Mulher!

Rejeita qualquer pensamento ou sentimento de rivalidade,

pois isto destrói a unidade das mulheres.

Caminha graciosamente, olhando sempre com admiração o teu eterno companheiro, o homem.

Mulher!

Neste Dia Internacional da Mulher, dedicado a ti, todos te proclamam como a Senhora da criação e da beleza e admiram

a dádiva que é ser mulher!

Art e Formatação by Mirna Alonso

quarta-feira, março 03, 2010

...televisão

Big Brother Brasil, um programa imbecil

92 milhões: Big Bando de Bobos

Regina Azevedo

Realmente, como fenômeno de comunicação de massa, não há como negar a penetração do programa BBB na vida de milhões de brasileiros.

Penetração. Considero esta a palavra mais adequada. Não somos nós que invadimos a casa, eles é que invadem a nossa, esfregando seus corpos, caras e bocas nas nossas telinhas. A maioria das vezes aos berros, mostrando toda sorte (ou azar?) de grosserias e falta de educação.

Estupro intelectual? Nada disso: penetração consensual, à medida que escolhemos qual botão apertar para trazer um pouco de "realidade" para dentro de nossas vidas, num escapismo aos nossos problemas tão duramente reais... É certo que o show de horrores não pode ser de todo previsto, pois ali impera o obsceno, aquilo que foge à cena e nos vai sendo atirado na cara. Então nos dizemos aviltados, escandalizados com tanta baixaria.

Marshall McLuhan afirmava ser o meio a própria mensagem; acredito nele, pois basta a televisão estar ali, mesmo desligada, para comunicar muita coisa. Desde os anos 80, pessoas "chiques" passaram a descartá-la da sala de estar, pois julgavam ser aquele um recinto de convívio, de sociabilização, não havendo lugar para o até então moderno aparelho.

Já Nelson Rodrigues dizia que "dinheiro compra tudo, até amor verdadeiro". A contar por edições anteriores, amor de Big Brother é como romance de férias no litoral: não sobe a serra, não prospera, principalmente se um dos efêmeros pares que ali se formam se tornar o vencedor da contenda. No jogo impera a lógica do "eu se fiz sozinho" (sic): embora a grana seja muita, por que dividi-la com seu "amor"?

A velha fórmula de manipulação da Roma Antiga, pão e circo, continua funcionando muito bem em tempos de TV digital. A considerar os altíssimos índices de votação, é disso que o povo gosta. Dados sobre o faturamento da arrecadação via torpedos não são revelados; mas se o prêmio aumentou 50% da última edição para a atual, mesmo sem ser economista, é possível imaginar o elevado número de zeros que compõem a cifra.

Uma expressão popular do fenômeno pode ser vista no blog A Voz do Cordel, de Antonio Carlos de Oliveira Barreto. Um banho retórico no discursinho poético-patético de Pedro Bial, vale a leitura.

Então é isso, continue dando aquela espiadinha. E, se possível, votando. Depois de dois meses, findo o programa, de qualquer jeito você vai ter que voltar para sua própria vidinha e enfrentar a dura realidade. Talvez um pouco mais pobre, no bolso e na mente...

20 novembro

Regina Azevedo Regina Azevedo é jornalista e Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, escritora, editora da OP Livros, professora nas áreas de Comunicação Interpessoal e Empresarial e Motivação junto ao PECE - Programa de Educação Continuada em Engenharia da POLI-USP e doutoranda na área de Psicologia Organizacional no IP-USP.

Fonte: prazeremconhecerse

segunda-feira, março 01, 2010

Hoje o Rio de Janeiro faz 445 anos!


Parabéns!!!


Porque amo o meu amor

E porque o amo e eu gosto dele e ele me leva a caminhos multiplos...
excitantes, venturosos, mágicos!

Ao meu amor, meu tudo sempre,
como o desejei, como o sonhei e como me foi inspirado.

Ao meu amor tudo o quanto tanto desejei e,
o quanto foi desejado...

Seu amor, ao meu amor, sempre tudo e tanto...
mais, muito mais do que muito

Ao meu amor basta o sempre.

*




LinkWithin

Related Posts with Thumbnails