"Deus me respeita quando eu trabalho. Mas me ama quando eu canto."

quarta-feira, setembro 30, 2009

TCU x PAC

Queremos dividir o Brasil?

"Não", é a resposta que resulta da leitura de Uma Gota de Sangue, de Demétrio Magnoli, um livro ambicioso que investiga as origens ideológicas das cotas raciais

"Cada homem é uma raça." A frase, título de um livro do escritor moçambicano Mia Couto, sintetiza a ideia deque cada indivíduo tem sua história, seu repertório cultural, seus desejos, suas preferências pessoais e, éclaro, uma aparência física própria que, no conjunto, fazem dele um ser único. Rótulos raciais são, portanto, arbitrários e injustos. Mia Couto, com sua concepção universalista da humanidade, é citado algumas vezes em Uma Gota de Sangue – História do Pensamento Racial do sociólogo paulistano Demétrio Magnoli, recém-chegado às livrarias. Trata-se de uma dessas obras ambiciosas, raras no Brasil, que partem de um esforço de pesquisa histórica monumental para elucidar um tema da atualidade. Magnoli estava intrigado com o avanço das cotas para negros no Brasil e resolveu investigar a raiz dessas medidas afirmativas. O resultado é uma análise meticulosa da evolução do conceito racial no mundo. Descobre-se em Uma Gota de Sangue que as atuais políticas de cotas derivam dos mesmos pressupostos clássicos sobre raça que embasaram, num passado não tão distante, a segregação oficial de negros e outros grupos. A diferença é que, agora, esse velho pensamento assume o nome de multiculturalismo – a ideia de que uma nação é uma colcha de retalhos de etnias que formam um conjunto, mas não se misturam. É o racismo com nova pele.

Em democracias, a existência de minorias com tratamento especial quase sempre resulta em encrenca. A pergunta que os brasileiros deveriam se fazer é: isso vale a pena?". Uma Gota de Sangue, de Demétrio Magnoli, contribui para que se responda: não, não e não.

"Esse caminho conduzirá a uma carteira de identidade racial"

O sociólogo Demétrio Magnoli, autor de Uma Gota de Sangue, conversou com VEJA

"O senhor escreveu, certa vez, que ficou incomodado ao deparar com o item "raça" no formulário de matrícula da escola de sua filha. Por quê?

Porque esse é o primeiro documento público no Brasil que compulsoriamente associa as pessoas nominalmente a uma raça. É um documento diferente das pesquisas anônimas do censo demográfico. No caso da matrícula escolar, ao se associar um nome a uma raça, repete-se uma prática fundamental das políticas raciais no mundo inteiro, desde o século XIX. Não vejo nenhum dilema político em que as pessoas, na esfera privada, imaginem participar de uma raça. É um direito de cada um criar identidades próprias. O problema é quando o estado cria e impõe um rótulo às pessoas. No caso das matrículas, isso foi feito através de uma norma do Ministério da Educação (MEC), válida para escolas públicas e privadas. Os pais devem declarar a "raça" de seus filhos. Hoje, todos os formulários de saúde e educação no país têm esse item. O Brasil está oficializando as identidades raciais.

Qual é o perigo?

A função desse conjunto de documentos é impingir aos cidadãos uma marca racial da qual não poderão fugir e que depois terá efeitos práticos em sua vida, no vestibular ou no mercado de trabalho. Estamos trilhando um caminho que conduzirá a uma carteira de identidade racial.

Quem ganha com isso?

Em todos os lugares em que foi aplicado esse tipo de medida, formaram-se elites políticas sustentadas sobre bases raciais. Seu interesse é ganhar influência, votos e audiência social. No Brasil, os promotores dessas políticas imaginam que o racismo brasileiro leva as pessoas a "negar a sua verdadeira raça". Para eles, incentivos oficiais, vagas em universidades e cotas no mercado de trabalho vão ajudar os mestiços a "assumir a sua negritude" – frase que se ouve a toda hora. Pretende-se com isso criar uma larga base social para que os promotores das políticas raciais se ergam como lideranças políticas. Eles querem criar um racismo de massas, algo que não existe no Brasil. Há, sim, um racismo difuso, mas não um ódio racial de massas.

Por que essa agenda foi adotada pelo Partido dos Trabalhadores?

Porque o partido mantém relações com ONGs que promovem tais políticas, muitas por influência de entidades filantrópicas americanas. Como não têm apoio popular, as ONGs precisam se atrelar a um partido para ganhar representatividade e exercer pressão sobre o estado. Embora hoje o PT seja a principal agremiação a conduzir essa bandeira, vale lembrar que as políticas raciais começaram com o PSDB, durante a Presidência de Fernando Henrique Cardoso.

O que é avaliado de verdade na hora de conceder cotas?

No estado racial, as pessoas têm de demonstrar uma identidade e assumi-la. Os desviantes são aqueles que se recusam a fazê-lo. Como não existe ninguém "verdadeiramente negro", assim como não existe "verdadeiramente branco", o que se tenta avaliar é, no fundo, a ideologia. Entre pessoas igualmente pardas, ganha a vaga aquela que se diz vítima de discriminação. Essa resposta é associada a uma ideologia da negritude que serve de critério para as comissões universitárias decidirem sobre a distribuição de cotas. É quase o mesmo que beneficiar no vestibular os alunos que estão de acordo com as ideias de determinado partido.

A criação de um racismo de massas é um caminho sem volta?

Volta sempre existe, mas é preciso saber a que custo. Em Ruanda, pagou-se o preço de um genocídio. Posteriormente, o estado ruandês decidiu proibir a classificação racial da população. Se o Brasil insistir nas políticas raciais e se elas se tornarem enraizadas, coisa que ainda não ocorreu, a sociedade vai pagar um preço alto, impossível de prever."

Leia matéria completa: Veja

Every time we say goodbye

terça-feira, setembro 29, 2009

Quem representa o povo?

Uma ótima pergunta! Adivinhe a resposta.

vereadores sp

Fonte: Polis

Começaram a tomar posse como vereadores os primeiros suplentes beneficiados pela PEC aprovada pelo Congresso Nacional no dia 23 passado. Polêmica e desnecessária, a emenda permitiu a criação de mais de 7 mil novas vagas nas câmaras municipais pelo País afora.

Não bastasse o papel do vereador já vir, há muito, sendo questionado, lá vai o Brasil de novo na contramão da história. Em muitos dos países desenvolvidos, a figura do vereador simplesmente inexiste. A função é exercida – e a contento – por conselheiros de bairros, que uma vez ou duas ao mês se reúnem para discutir os problemas das suas comunidades e tratar de questões da cidade.

Um detalhe importante: esses conselheiros são votados distritalmente, não recebem remuneração, não têm direito a nomear funcionários comissionados nem dispõem de verbas de gabinete, assessores, secretárias, motoristas e outras regalias pagas com dinheiro do contribuinte.

Os conselheiros vivem do dinheiro que ganham em suas profissões. E nos dias em que precisam se afastar do emprego para assumir a representação comunitária, são indenizados com uma remuneração referente a um dia de trabalho.

Alguém acha que com um sistema semelhante no Brasil, haveria tanta gente interessada no cargo?

Pois bem. Sábado, os dois primeiros suplentes de vereador tomaram posse nos cargos em Bela Vista de Goiás (GO). Em solenidade concorrida, com discursos e foguetório.

Ontem, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, enviou ofício aos presidentes dos tribunais regionais eleitorais informando que, no entendimento do TSE, as novas vagas de vereadores criadas pela PEC só poderiam ser preenchidas a partir da próxima eleição municipal, em 2012.

Tarde demais. Várias posses já estão marcadas pelo País. Inclusive em Pernambuco. São Caetano e Toritama foram as duas primeiras cidades onde as câmaras anunciaram que vão dar posse aos suplentes beneficiados com a emenda.

Se a moda pega, a onda de ampliações vai se alastrar. Em algumas cidades, de acordo com os cálculos da PEC, o número de novos vereadores pode chegar a dez. Casos como São Luiz do Maranhão e Maceió das Alagoas. Dois lugares onde a política ainda é feita à moda dos coronéis.

E não bastasse o drama do aumento das vagas, há quem ainda faça uso político disso. Em alguns municípios onde os prefeitos têm minoria no legislativo, a ampliação começa a ser vista como uma arma para virar o jogo.

Basta que os suplentes beneficiados sejam aliados do governo. Pronto! É maioria garantida na câmara. E o contribuinte é, mais uma vez, apenas um detalhe.

Radiografias por Nick Veasey (VI)

radiografias por Nick Veasey 6

Saúde Mental

Um artigo maravilhoso!

RubemAlves_0024

Rubem Alves

"Fui convidado a fazer uma preleção sobre saúde mental. Os que me convidaram supuseram que eu, na qualidade de psicanalista, deveria ser um especialista no assunto. E eu também pensei. Tanto que aceitei.

Mas foi só parar para pensar para me arrepender. Percebi que nada sabia.Eu me explico.Comecei o meu pensamento fazendo uma lista das pessoas que, do meu ponto de vista, tiveram uma vida mental rica e excitante, pessoas cujos livros e obras são alimento para a minha alma. Nietzsche, Fernando Pessoa, Van Gogh, Wittgenstein, Cecília Meireles, Maiakovski. E logo me assustei. Nietzsche ficou louco. Fernando Pessoa era dado à bebida. Van Gogh matou-se.Wittgenstein alegrou-se ao saber que iria morrer em breve: não suportava mais viver com tanta angústia. Cecília Meireles sofria de uma suave depressão crônica. Maiakoviski suicidou-se.

Essas eram pessoas lúcidas e profundas que continuarão a ser pão para os vivos muito depois de nós termos sido completamente esquecidos.Mas será que tinham saúde mental? Saúde mental, essa condição em que as idéias comportam-se bem, sempre iguais, previsíveis, sem surpresas, obedientes ao comando do dever, todas as coisas nos seus lugares, como soldados em ordem unida, jamais permitindo que o corpo falte ao trabalho, ou que faça algo inesperado; nem é preciso dar uma volta ao mundo num barco a vela, basta fazer o que fez a Shirley Valentine (se ainda não viu, veja o filme) ou ter um amor proibido ou, mais perigoso que tudo isso, a coragem de pensar o que nunca pensou.

Pensar é uma coisa muito perigosa... Não, saúde mental elas não tinham... Eram lúcidas demais para isso.Elas sabiam que o mundo é controlado pelos loucos e idosos de gravata.Sendo donos do poder, os loucos passam a ser os protótipos da saúde mental.Claro que nenhum dos nomes que citei sobreviveria aos testes psicológicos a que teria de se submeter se fosse pedir emprego numa empresa. Por outro lado, nunca ouvir falar de político que tivesse depressão. Andam sempre fortes em passarelas pelas ruas da cidade, distribuindo sorrisos e certezas.

Sinto que meus pensamentos podem parecer pensamentos de louco e por isso apresso-me aos devidos esclarecimentos.Nós somos muito parecidos com computadores. O funcionamento dos computadores, como todo mundo sabe, requer a interação de duas partes. Uma delas chama-se hardware, literalmente "equipamento duro", e a outra denomina-se software, "equipamento macio". Hardware é constituído por todas as coisas sólidas com que o aparelho é feito. O software é constituído por entidades "espirituais" - símbolos que formam os programas e são gravados nos disquetes. Nós também temos um hardware e um software.

O hardware são os nervos do cérebro, os neurônios, tudo aquilo que compõe o sistema nervoso. O software é constituído por uma série de programas que ficam gravados na memória. Do mesmo jeito como nos computadores, o que fica na memória são símbolos, entidades levíssimas, dir-se-ia mesmo "espirituais", sendo que o programa mais importante é a linguagem.
Um computador pode enlouquecer por defeitos no hardware ou por defeitos no software.Nós também. Quando o nosso hardware fica louco há que se chamar psiquiatras e neurologistas, que virão com suas poções químicas e bisturis consertar o que se estragou. Quando o problema está no software, entretanto, poções e bisturis não funcionam.

Não se conserta um programa com chave de fenda.Porque o software é feito de símbolos e, somente símbolos, podem entrar dentro dele.Ouvimos uma música e choramos. Lemos os poemas eróticos de Drummond e o corpo fica excitado. Imagine um aparelho de som. Imagine que o toca-discos e os acessórios, o hardware, tenham a capacidade de ouvir a música que ele toca e se comover. Imagine mais, que a beleza é tão grande que o hardware não a comporta e se arrebenta de emoção!

Pois foi isso que aconteceu com aquelas pessoas que citei no princípio:
A música que saia de seu software era tão bonita que seu hardware não suportou... Dados esses pressupostos teóricos, estamos agora em condições de oferecer uma receita que garantirá, àqueles que a seguirem à risca, "saúde mental" até o fim dos seus dias.

Opte por um software modesto. Evite as coisas belas e comoventes.
A beleza é perigosa para o hardware. Cuidado com a música... Brahms, Mahler, Wagner, Bach são especialmente contra-indicados. Quanto às leituras, evite aquelas que fazem pensar. Tranquilize-se há uma vasta literatura especializada em impedir o pensamento. Se há livros do doutor Lair Ribeiro, por que se arriscar a ler Saramago?

Os jornais têm o mesmo efeito. Devem ser lidos diariamente. Como eles publicam diariamente sempre a mesma coisa com nomes e caras diferentes, fica garantido que o nosso software pensará sempre coisas iguais. E, aos domingos, não se esqueça do Silvio Santos e do Gugu Liberato.
Seguindo essa receita você terá uma vida tranqüila, embora banal.
Mas como você cultivou a insensibilidade, você não perceberá o quão banal ela é. E, em vez de ter o fim que tiveram as pessoas que mencionei, você se aposentará para, então, realizar os seus sonhos. Infelizmente, entretanto, quando chegar tal momento, você já terá se esquecido de como eles eram..."

segunda-feira, setembro 28, 2009

"O Cara" merece

EUA classificam volta de Zelaya como 'irresponsável'

Crise em Honduras

honduras_flag Os Estados Unidos classificaram nesta segunda-feira como "irresponsável" a volta clandestina do presidente deposto Manuel Zelaya a Honduras. A declaração foi feita pelo representante americano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Lewis Anselem.

Ele disse ainda que o retorno de Zelaya não serve aos interesses do povo. "Os que facilitaram a volta de Zelaya têm uma especial responsabilidade para prevenir a violência e garantir o bem-estar do povo hondurenho", afirmou Anselem.

O presidente deposto está refugiado na embaixada brasileira desde a última segunda-feira. O governo interino, liderado por Roberto Micheletti, ameaçou no domingo retirar o status diplomático da embaixada brasileira, caso o Brasil não defina a situação de Zelaya.

"Se o status de Zelaya não for definido em dez dias, a embaixada vai perder sua condição diplomática. Por cortesia, uma invasão do local não está sendo considerada", declarou Carlos Lopez Contreras, ministro das Relações Exteriores, em entrevista à imprensa.

Fonte: Veja

Brigitte Bardot

Hoje ela completa 75 anos

Até onde pode suportar o sofrer ...o ser humano?

Roman Polanski é preso por pedofilia

O diretor franco polonês, alcançado na Suiça, é fugitivo da justiça americana há 31 anos

Polanski realizou muitos filmes importantes como A Dança dos Vampiros (1967) "O Bebê de Rosemary" (1968), "Chinatown" (1974), "Tess" (1979), “Lua de Fel” (1992) ,"O Pianista" (2002)

O premiado diretor de cinema Roman Polanski foi detido na Suíça por um mandado de prisão emitido há 31 anos nos Estados Unidos.

Leia matéria sobre no "the passira News" clic aqui


(!!!?) Me causa surpresa e tristeza. Homem talentoso, tendo passado por tanto sofrimento e perdas em sua vida... – Será? Seria? Terá sido?

Ainda não descreio do ser humano ao ponto de crer, mas...

Somos todos humanos.


domingo, setembro 27, 2009

Receita de uma boa "pizza" by Lula






De trans-anti-ontem

Marisa, a inútil, em tour cinematográfico

"No futuro, todo mundo será célebre durante quinze minutos - Andy Warhol"

Fonte: Coturno Noturno

Oração ao Criador

“Ajuda-me hoje, Criador, a criar a história de minha vida tão lindamente quanto você criou o universo inteiro.
images

A partir de hoje, ajuda-me a recuperar minha fé na verdade, na voz silenciosa da integridade. Peço-lhe, Deus, que manifeste seu amor por meu intermédio, em cada palavra que eu expressar, em cada ação que eu empreender. Ajuda-me a transformar cada atividade de minha vida num ritual de amor e alegria. Permita que eu use o amor como material para criar a mais bela história sobre sua criação.

Hoje, Deus, meu coração está cheio de gratidão pela dádiva da vida. Muito obrigado pela percepção de que você só cria perfeição, e, portanto, porque você me criou, acredito em minha própria perfeição.
Deus, ajuda-me a amar incondicionalmente a mim mesmo, para que eu possa dividir meu amor com outros seres humanos, com todas as formas de vida deste formoso planeta. Ajuda-me a criar meu próprio sonho de céu, para a eterna felicidade da humanidade. Amém."

(Don Miguel Ruiz)

Et Maintenant

sexta-feira, setembro 25, 2009

Saiba porque "República de Bananas"

República de Bananas

por Merval Pereira

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, e o protoditador venezuelano Hugo Chávez encarregaramse em questão de poucas horas de desmontar a versão oficial de que as autoridades brasileiras nada sabiam sobre a sua estratégia de regressar ao país e abrigar-se na embaixada brasileira em Tegucigalpa. Falando à rádio Jovem Pan, o presidente deposto, Manuel Zelaya, disse que a escolha da representação diplomática brasileira foi uma “decisão pessoal”, depois de consultas feitas ao presidente Lula e ao chanceler Celso Amorim.

Já Chávez revelou, rindo, como “enganou” todo mundo, monitorando a viagem de Zelaya através de um telefone via satélite, e que quando todos esperavam que o presidente deposto estaria em Nova York, para a reunião da ONU, ele “se materializou” na embaixada brasileira.

A reboque da estratégia bolivariana, o governo brasileiro está participando de uma farsa política com ares de “república de banana”, só que dessa vez o papel de interventor não é dos Estados Unidos, mas do Brasil, conivente com a irresponsabilidade de Chávez.

Um advogado paulista, Lionel Zaclis, doutor e mestre em Direito pela USP, publicou no site “Consultor Jurídico” um estudo detalhado sobre o processo de destituição do presidente hondurenho, à luz da Constituição do país, e chegou à conclusão de que não houve golpe de Estado.

Segue um resumo de seu relato: “De acordo com a Constituição de Honduras, como destacamos aqui ontem, o mandato presidencial tem o prazo máximo de quatro anos (artigo 237), vedada expressamente a reeleição.

Aquele que violar essa cláusula, ou propuserlhe a reforma, perderá o cargo imediatamente, tornandose inabilitado por dez anos para o exercício de toda função pública.” “(...) Em 23 de março de 2009, o presidente Zelaya baixou o Decreto Executivo PCM-05-2009, estabelecendo a realização de uma consulta popular sobre a convocação de uma assembleia nacional constituinte para deliberar a respeito de uma nova carta política.” “(...) Em 8 de maio de 2009, o Ministério Público promoveu, perante o ‘Juzgado de Letras Del Contencioso Administrativo’ de Tegucigalpa, uma ação judicial contra o Estado de Honduras, pleiteando a declaração de nulidade do decreto (...).” “(...) E, como tutela antecipatória, que foi aprovada, requereulhe a suspensão dos efeitos, sob o fundamento de que produziria danos e prejuízos ao sistema democrático do país, de impossível ou difícil reparação, e em flagrante infração às normas constitucionais e às demais leis da República, para não falar dos prejuízos econômicos à sociedade e ao Estado, tendo em vista a dimensão nacional da consulta.” “(...) Em 3 de junho, o Juizado proibiu o presidente Zelaya de continuar a consulta.

Contra essa decisão, impetrou ele um Recurso de Amparo — similar ao nosso Mandado de Segurança — perante a Corte de Apelações do Contencioso Administrativo, o qual foi rejeitado em 16 de junho.” “(...) Assim, o Juizado do Contencioso Administrativo expediu, no dia 18 de junho, uma segunda ordem contra o presidente, tendo uma terceira sido expedida nesse mesmo dia. Em virtude dessa desobediência, o promotor-geral da República ofereceu, perante a Suprema Corte, denúncia criminal contra o presidente Zelaya, sustentando configurar sua conduta crimes de atentado contra a forma de governo, de traição à pátria, de abuso de autoridade e de usurpação de funções, em prejuízo da administração pública e do Estado.” “(...) A Suprema Corte aceitou a denúncia em 26 de junho, com fundamento no art. 313 da Constituição e designou um magistrado para instruir o processo.

Foi decretada a prisão preventiva do denunciado, com o que foi expedido mandado de captura, cujo cumprimento ficou a cargo do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.” “(...) No mesmo dia, o Juizado de Letras do Contencioso Administrativo deu ordem às Forças Armadas para suspender a consulta pretendida pelo presidente Zelaya e tomar posse de todo o material que nela seria utilizado.” “(...) O presidente Zelaya, então, ordenou ao chefe do Estado-Maior das Forças Armadas que distribuísse o material eleitoral de qualquer modo, porém o último, invocando a ordem judicial, se negou a fazê-lo, ao que foi destituído, tendo, em seguida, impetrado junto à Suprema Corte um recurso de amparo para ser reconduzido ao cargo.” “(...) Em 25 de junho a Suprema Corte cassou o ato do presidente Zelaya, sob o fundamento de que a remoção do chefe do EstadoMaior das Forças Armadas constitui ato privativo do Congresso Nacional nos termos do artigo 279 da Constituição.” “Uma frase famosa na diplomacia brasileira é a do chanceler do governo Geisel Azeredo da Silveira, que vivia repetindo: “O Brasil não pode dar a impressão de que é uma Honduras”.

A preocupação tinha sentido: Honduras é o país inspirador do termo “República de bananas” ou “República bananeira” cunhado pelo escritor americano O. Henry, pseudônimo de William Sydney Porter, que, no livro de contos curtos Cabbages and Kings, (Repolhos e Reis) de 1904, usou pela primeira vez a expressão, que passou a designar um país atrasado e dominado por governos corruptos e ditatoriais, geralmente na América Central.

O principal produto desses países, a banana, era explorado pela famosa United Fruit Company, que teve um histórico de intromissões naquela região, especialmente Honduras e Guatemala, para financiar governos que beneficiassem seus interesses econômicos, sempre apoiado pelo governo dos Estados Unidos.

A cláusula pétrea da Constituição de 1982 de Honduras tinha justamente o objetivo de cortar pela raiz a possibilidade de permanência no poder de um presidente, pondo fim à tradição caudilhesca no país.

Para celebrar o envelhecer


ESCRITO POR REGINA BRETT, 90 ANOS

"Para celebrar o envelhecer, uma vez eu escrevi 45 lições que a vida me ensinou.
É a coluna mais requisitada que eu já escrevi.
Meu taximetro chegou aos 90 em Agosto, então aqui está a coluna mais uma vez:

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3 A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.
9. Poupe para aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. Respire bem fundo. Isso acalma a mente.
17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeiroso.
18.
O que não te mata, realmente te torna mais forte.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré..
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade além de você.
26.. Encare cada "chamado desastre" com essas palavras:
Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todos.
29.
O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva...
33. Acredite em milagres
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que vc fez ou deixou de fazer.
35. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora.
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem
37. Seus filhos só têm uma infância
38. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares
40. Se todos jogassemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41.
Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como vc se sinta, levante, se vista e apareça.
44. Produza.
45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!"

quinta-feira, setembro 24, 2009

Lidando com a tentação

Duas câmeras escondidas e um desafio pros pequenos: "Estou te dando este marshmallow e vou ali que eu preciso fazer algumas coisas. Se você não comer, quando eu voltar te dou outro."
Hah, pra quê, as crianças ficam enlouquecidas testando o autocontrole, compensa ver até o fim. O vídeo é de Steve V, um filmmaker canadense.

O GOLPE DA TRINCA LULA-CHÁVEZ-ORTEGA JÁ DEU CERTO


Fonte: Reinaldo Azevedo

É claro que o governo provisório de Honduras está por um fio. Lula pediu, e vai ter, uma reunião com Barack Obama, presidente dos EUA, o principal responsável pela tragédia que acomete aquele pequeno país. A ONU retirou o que chamava de assistência ao processo eleitoral do país. Na prática, diz que não reconhece mais o pleito de novembro. E, agora, não há mesmo como ele se realizar.

Cumpre-se, assim, o principal objetivo da tramóia em que se meteu o Brasil. O objetivo era este mesmo: melar as eleições. Hugo Chávez e Miguel D’Escoto, o sandinista que preside a Assembléia Geral da ONU, já haviam dito que exigiam a volta de Zelaya e a prorrogação de seu mandato, “descontando-se” o tempo em que ficou afastado do poder.

A equação é simples:
a - exige-se a restituição de Zelaya:
b - adiam-se as eleições;
c - logo, prorroga-se o mandato.

É preciso lembrar que Roberto Micheletti, inicialmente, havia aceitado o tal Plano Arias: Zelaya seria restituído, uma junta com representantes dos três Poderes se formaria para acompanhar o governo, a tal proposta de consulta para mudar a constituição seria cancelada, e novas eleições se fariam em novembro. O presidente deposto chegou a titubear, mas Chávez falou por ele. Classificou a proposta de um golpe dos EUA, imaginem… E Zelaya fincou pé: exigia a volta sem condicionantes e a punição dos “golpistas”. E se chegou ao impasse.

As eleições de novembro tendiam a resolver tudo. Arias já havia dito que considerava que poderia estar ali uma solução. E, então, entraram em cena Chávez, Lula e Ortega. Voltaremos a este assunto. Por agora, sintetizo: para os candidatos a populistas absolutistas do continente, a única solução aceitável era e é a restituição de Zelaya. A mensagem que tem de ficar é esta: ninguém toca num presidente eleito, ainda que ele sabote a Constituição.

Tudo sob as bênçãos de Barack Hussein, aquele que agora se orgulha do fato de que os EUA não podem “resolver todos os problemas do mundo”.

O golpe da trinca Lula-Chávez-Ortega já deu certo.

Trapalhada internacional

Ação Arriscada

por Merval Pereira

A esta altura dos acontecimentos, parece claro que o governo brasileiro meteu-se em uma séria confusão internacional ao dar apoio a uma manobra irresponsável do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que visava criar um fato consumado com o retorno a Honduras do presidente deposto Manuel Zelaya. Não está claro se o governo brasileiro participou diretamente da organização do plano de reintrodução de Zelaya em seu país, mas é difícil acreditar que ele tenha simplesmente “se materializado” na embaixada brasileira, segundo definição pitoresca de um funcionário diplomático.

Como o deposto presidente chegou à fronteira em um avião venezuelano, e o próprio Chávez anunciou com antecedência sua chegada a território hondurenho, o mínimo que pode ter acontecido é Chávez ter criado um fato consumado para o governo brasileiro, colocando o Brasil no centro de uma crise que ele não precisava assumir como parte, mas na qual tinha obrigação de atuar como mediador neutro.

Dando suporte a Zelaya, inclusive permitindo que ele faça de nossa embaixada em Tegucigalpa um palco para suas atividades políticas, numa atitude sob todos os aspectos ilegal à luz do Direito internacional, o governo brasileiro está claramente interferindo na política interna do país, assumindo um papel de potência imperialista que sempre foi evitado por nossa política externa.

Dando a Zelaya um status confuso, de “abrigado” ou “refugiado” em vez de “asilado”, o governo brasileiro permite que ele se aproveite da situação ambígua para atuar politicamente.

Mais uma vez, assumindo a posição de Chávez, o governo brasileiro deixa de ter credibilidade política para negociar como mediador na região que deveria liderar naturalmente.

Pela mesma razão, o Brasil deixou de ser confiável para a Colômbia quando decidiu participar de maneira mais ativa do que deveria de uma ação propagandística de um resgate frustrado da senadora francesa Ingrid Bettancourt, sequestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Assumindo como uma operação institucional o que não passava de uma farsa, e sobretudo tratando o grupo guerrilheiro como uma força política legal, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, procurava ao mesmo tempo desmoralizar o presidente colombiano, Álvaro Uribe, e fortalecer-se como um canal de negociação eficiente diante da França.

No caso atual, está claro que o presidente Manuel Zelaya, a exemplo de outros governantes da região, como Evo Morales na Bolívia e Rafael Correa no Equador, seguindo os passos da “revolução bolivariana” de Chávez, perseguia a mudança da Constituição de seu país em busca da possibilidade de reeleição.

A base teórica da manipulação dos referendos para mudar constituições e dar mais poderes aos presidentes da ocasião é o livro “Poder Constituinte — Ensaio sobre as alternativas da modernidade”, do cientista social e filósofo italiano Antonio (Toni) Negri.

Essa influência foi admitida pelo próprio Chávez em um de seus programas radiofônicos ainda em 2006, quando ele anunciou que estavam entre eles “um filósofo, escritor e ativista italiano, Toni Negri.
(…) Por aqui temos seguido suas teses, Toni Negri: O poder constituinte”.
Para Negri, “o poder constituinte é uma potência criadora de ser (...) e apenas o processo constituinte, as dimensões determinadas pela vontade, a luta e a decisão sobre a luta definem os sentidos do ser”.

O filósofo italiano diz que “o medo despertado pela multidão” faz com que o poder constituído queira impedir sua manifestação através da constituinte: “A fera deve ser dominada, domesticada ou destruída, superada ou sublimada”.

Antonio Negri considera que o “poder constituído” procura tolher o “poder constituinte”, limitando-o no tempo e no espaço, enquanto o dilui através das “representações” dos poderes do Estado.

Em uma definição mais popular, Evo Morales diz que se trata de uma nova maneira de governar através do povo.

Defendem, na prática, a “democracia direta”, o fim das intermediações próprias dos sistemas democráticos.

A mania de personalizar o poder, transformando-se em um salvador da pátria que deve permanecer no governo quanto mais tempo possível, para o bem de seu país, não tem ideologias na região.

Também o presidente conservador da Colômbia, Álvaro Uribe, está empenhado em mudar a Constituição através de um plebiscito para poder se candidatar mais uma vez à Presidência.

No caso de Zelaya, no entanto, a gravidade da tentativa foi maior, porque a Constituição hondurenha tem como cláusula pétrea, que não pode ser modificada, a proibição da reeleição. Diz seu artigo 239 que “nenhum cidadão que já tenha ocupado o cargo de chefe do Executivo poderá ser presidente ou vicepresidente”.

O governo Zelaya anunciou que faria uma consulta popular para saber se a maioria queria que, na eleição de novembro, houvesse uma “quarta urna” para convocar uma Assembleia Constituinte.

Aparentemente, não haveria conflito de interesses, pois, se aprovada na eleição, a Constituinte seria convocada sob o comando do novo presidente eleito na mesma ocasião.

Mas, na publicação do decreto, o governo o intitulou como “Consulta de Opinião Pública Convocatória de uma Assembleia Nacional Constituinte”, o que poderia dar margem a que o resultado da consulta, caso favorável, fosse considerado como uma aprovação à convocação imediata da Constituinte.

O Congresso e a Corte Suprema consideraram ilegal a convocação, e Zelaya foi deposto de maneira violenta pelo Exército e enviado à força para o exterior, o que lhe dá o pretexto de se considerar vítima de um golpe de Estado.

O governo brasileiro deveria considerar as especificidades da situação e trabalhar como mediador da crise, e não alimentá-la com uma ação irresponsável, que já está provocando mortes.

quarta-feira, setembro 23, 2009

Lost Horizon

Horizonte Perdido

A saudade fala português


Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências...

Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer, dos livros que li e que me fizeram viajar, dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar, das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade;

Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que, não sei aonde, para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades em japonês, em russo, em italiano, em inglês, mas que minha saudade, por eu ter nascido brasileiro, só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.

Eu acredito que um simples "I miss you", ou seja lá como possamos traduzir saudade em outra língua, nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.

Talvez não exprima, corretamente, a imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades...

Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito, meio nostálgico, meio gostoso, mas que funciona melhor do que um sinal vital quando se quer falar de vida e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis, de que amamos muito do que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência... Sentir saudade, é sinal de que se está vivo.
(Autor: Cathia)

Ela chegou...

primavera

Que a sua primavera seja de grande felicidade!

Escrito no Pensamento

Soni@ Pallone

"...Há um poema esperando por você.
Algo que escreverei e que será só teu...
Versos desordenados
e sem pausas no papel...
Incômodo... Moroso... Pensativo...
Cuidadoso pra não te machucar !

Um poema sem trégua...
Constante.
Exaurido, mas consciente...
Cheio de verdade pra você.
Um poema lúcido, translúcido,
"análogo"...
Miscigenado de emoção e razão.

Um poema gritante,
porém mudo
de sons e cordas vocais...
Daqueles que só ficam
no pensamento,
mas que você vai saber ler,

toda vez que me olhar !!!"

terça-feira, setembro 22, 2009

Os "sem"

Megalonanico

A desculpa esfarrapada do Megalonanico

Fonte: Reinaldo Azevedo

Celso Amorim deu a única resposta possível para a delinqüência explícita a que se dedica o Brasil em Honduras: Zelaya bateu à porta da embaixada, e o Brasil a abriu! Sei! Justo quando Lula está prestes a falar na Assembléia Geral da ONU, com os holofotes voltados para Nova York. Assim, Amorim pode falar à cidade e ao mundo! O Megalonanico tenta esconder o fato óbvio de que o Brasil está afrontando a sua própria Constituição e a Carta da OEA.

A embaixada brasileira, notem bem, é um bom lugar para a tramóia bolivariana. Embora o Brasil tenha se colocado na vanguarda do ataque ao governo provisório de Honduras, com a manobra para expulsar o embaixador hondurenho do Conselho dos Direitos Humanos, ninguém esperava um gesto como esse, absolutamente alheio à tradição da diplomacia brasileira.

Mas Lula está aí é para fazer o impensável.

Em Honduras BR está agindo como os EUA

Diz ex-embaixador Rubens Ricupero

Fonte: terra

Zelaya

Zelaya retornou a Honduras. Mas permanece enclausurado na Embaixada brasileira, na capital Tegucigalpa. Em entrevista a Terra Magazine, o ex-embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Rubens Ricupero, acredita que o retorno já estava acordado e afirma: agora, "fazemos o mesmo que condenávamos nos EUA".

"Não acredito que seja uma violação à soberania, mas o Brasil está se posicionando em defesa de ideais claros", diz Ricupero. Ele acredita também que "o governo brasileiro está se inserindo em um cenário político que não lhe diz respeito, desta forma".

- (O Brasil) Está fazendo o mesmo que condenou quando via os Estados Unidos interferirem em políticas de outros países, até porque, como sabemos, existem os dois lados, e o Congresso, por exemplo, decidiu pelo golpe.

Para Ricupero, "o Brasil adotou um posicionamento militante, que é diferente de diplomacia". O ex-embaixador diz acreditar que "este retorno de Zelaya a Honduras foi antecipadamente combinado com o governo brasileiro". E justifica: "precisavam retomar o assunto, as negociações, ele não retornaria sem algum tipo de segurança e, com certeza, o Brasil cedeu a Embaixada e já sabia que isto iria acontecer".

- Não pode ter sido nada inesperado por que este tipo de coisa não se faz inesperadamente. Zelaya sabia que iria encontrar resistência a seu retorno e o Brasil já se posicionou a favor de seu retorno.

No dia 28 de junho passado, o presidente Miguel Zelaya foi deposto por uma junta militar. De pijamas, foi deportado para a Casta Rica. O presidente do Congresso de Honduras, Roberto Micheletti, assumiu a Presidência e diz que não houve golpe de Estado. Zelaya, então, foi proibido de retornar ao país. Micheletti decretou estado de emergência em julho.

Ricupero avalia que "nesta questão de Honduras, o Brasil nunca foi neutro, assim como a Venezuela de Chávez também não o foi".

Após sucessivas ameaças de adentrar as fronteiras, Zelaya finalmente o fez nesta segunda-feira,21. Ele se encontra refugiado na Embaixada do Brasil em Tegucigualpa.

O presidente de fato de Honduras, Roberto Micheletti, pediu calma e que o Brasil entregue Zelaya ao cuidado da justiça hondurenha. Zelaya foi recebido porque é reconhecido pelo Brasil como o presidente eleito das Honduras.

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, disse nesta terça-feira, em Nova York, que o governo brasileiro não vai tolerar nenhum tipo de ataque à Embaixada em Honduras. Ricupero explica que isto enfraqueceria ainda mais o governo de fato ante as comunidades internacionais. "Um ataque à Embaixada brasileira seria condenado por toda a comunidade internacional", afirma.

Vamos "Lular"?

Lular
[Do analfabeto Lula]: Verbo totalmente irregular de estranha conjugação.

1.. Ocultar ou encobrir com astúcia e safadeza; disfarçar com a maior cara de pau e cinismo.

2.. Não dar a perceber, apesar de ululantes e genuínas evidências; calar.

3. Fingir, simular inocência angelical.

4. Usar de dissimulação; proceder com fingimento, hipocrisia.

5. Ocultar-se, esconder-se, fugir da responsa.

6. Tirar da reta, atingindo sempre o amigo mais próximo, sem dó nem piedade (antes ele do que eu).

7. Encobrir, disfarçar, negar sem olhar para as câmeras e nos olhos das pessoas.

8. Fraudar, iludir

9. Afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade, acreditar que os fins justificam os meios.

10. Voar com dinheiro alheio.

Vai que vai, Brastemp ou não

LAVANDERIA DE DINHEIROClique sobre a imagem para ler matéria

Clarice Lispector


...em "Cânticos" XXIII


Não faças de ti


Um sonho a realizar.


Vai.


Sem caminho marcado.


Tu és o de todos os caminhos.


Sê apenas uma presença.


Invísivel presença silenciosa.


Todas as coisas esperam a luz,


Sem dizerem que a esperam.


Sem saberem que existe.


Todas as coisas esperarão por ti,


sem te falarem.


Sem lhes falares.

segunda-feira, setembro 21, 2009

Radiografias por Nick Veasey (V)

Uma aposentadoria bem planejada

Essa é ótima!!!

England'sbristol Zoo Externamente ao England's Bristol Zoo, existe um parque de estacionamento para 150 carros e 8 ônibus. Por 25 anos, a cobrança do estacionamento era efetuada por um muito simpático atendente.

As taxas eram o correspondente a US$1.40 para carros e US$7.00 para ônibus.

Um dia, após 25 sólidos anos de nenhuma falta ao trabalho, ele, simplesmente, não apareceu.

A administração do Zoo, então, ligou para a Prefeitura e solicitou que enviassem um outro atendente.

A Prefeitura fez uma pequena pesquisa e respondeu que o estacionamento do Zoo era da responsabilidade do próprio Zoo, não dela. A administração do Zoo respondeu que o atendente era um empregado da Prefeitura. A Prefeitura, por sua vez, respondeu que o atendente do estacionamento jamais esteve na sua folha de pagamento.

Enquanto isso, descansando em sua bela residência em algum lugar da costa da Espanha (ou algo parecido), existe um homem que, aparentemente, instalou a máquina de cobrança por sua conta e, então, simplesmente começou a aparecer, todo dia, coletando e guardando as taxas de estacionamento, estimadas em US$ 560 por dia... por 25 anos!

Assumindo que ele trabalhava os 7 dias da semana, arrecadou algo em torno de US$7 milhões de dólares.
E ninguém sabe, nem mesmo, seu nome...

image036

Fonte: e-mail

Após escândalo da Renault, Briatore é banido da Fórmula 1

"O ex-dirigente da Renault, Flávio Briatore, foi banido da Fórmula 1 nesta segunda-feira após o escândalo envolvendo a escuderia francesa no GP de Cingapura do ano passado. Já a equipe foi punida com uma suspensão de dois anos, mas não terá que cumprir a pena, a não ser que cometa outra infração neste período.

No julgamento realizado pelo Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o brasileiro Nelsinho Piquet, que confessou ter batido o seu carro de propósito após um pedido de Briatore, foi beneficiado pelo sistema de delação premiada e se livrou de qualquer tipo de punição, assim como o espanhol Fernando Alonso, principal beneficiado com a farsa, já que acabou vencendo a corrida na ocasião.

Outro que recebeu uma pena dura foi o ex-diretor de engenharia da Renault, Pat Symonds, suspenso por cinco anos da principal categoria do automobilismo mundial.

Durante a audiência, a Renault desculpou-se pelo ocorrido. "Assumimos a completa responsabilidade pelo que aconteceu, e espero que passemos por melhores dias no futuro", disse Bernard Rey, presidente da operação da Renault na Fórmula 1. Todos os envolvidos prestaram depoimento nesta segunda em Paris."

Fonte: estadao

Muito merecido.

domingo, setembro 20, 2009

sábado, setembro 19, 2009

Aproveite o final de semana com leis aprovadas

Onde estão nossos “tutores”?

Fonte: puteironacional

"Temos parlamentares e governantes que se acham no direito de tutelar o cidadão, como se todos fossem uns imbecis incapazes de agir sem a ameaça de multa, caso não saibam se comportar direitinho. Você não pode beber antes de dirigir... Você não pode fumar..., 'senão fica de castigo'. São apenas dois exemplos do que pode parecer certo, mas não é, pois o que deveriam fazer é uma grande campanha para alertar o povo.

Ontem, estranhamente, José Genoíno do PT e sindicalistas, que tanto prezam pela garantia ao trabalhador, esqueceram que são nossos tutores. Brigaram no CCJ da Câmara pela aprovação do bingo e caça-níqueis. O povo - tratado como irresponsável pelos irresponsáveis que sustenta - será punido se fumar ou beber na hora errada, mas vai poder jogar. Afinal , as casas de bingo serão taxadas em 17% de sua arrecadação... que "serão destinados à saúde, fundos sociais, cultura, segurança pública e esporte".

Não sei como o brasileiro conseguiu viver até hoje sem uma parcela da arrecadação das casas de jogos. E muito menos como esse povo, incapaz de se alimentar sem doação do governo, poderá conter o ímpeto de jogar seu parco salário em jogos na tentativa desesperada de ver ao menos uma nota de cem reais na sua frente."

Vão apenas gastar mais em jogo, visto o quanto o "governo" incentiva, através da "detestada mídia", e com todo o seu poder econômico, que todo cidadão aposte na "sorte" trazida do além...não é o que fazem divulgando Mega-Sena e seus similares!?

Bem, vamos ao jogo, ele só acaba quanto "termina".

The crying game

sexta-feira, setembro 18, 2009

Hoje é dia...

Sexta-feira!

bom-dia

Comemore muito, comemore tudo...

mas sem se machucar, nem machucar ninguém.

Para vocês

Amigos que ficam, amigos que vão, mas sempre...Amigos



Agosto passado foi o mês em que essa minha forma de comunicação completou dois anos - sempre sobre algo "incidental".

Tudo começou como um rio de nascente desconhecida: não havia objetivo - não houve um "projeto"...metas??? Nada, era a iniciação de uma criação, sem propostas e sem propósitos, a não ser, Ser (existir).

Recordo que o primeiro assunto que postei me recordava minha avó, falecida há tantos anos, mas uma pessoa marcante (em mim deixou marcas), de bom tom, de bem viver, de melhor se conservar, entre outras. Uma de suas muitas crenças (ela cria como exata - "Vão-se os anéis, ficam os dedos").

Minha avó tinha frases assim, marcantes e marcadas - muito propensas à verdade e ao exato. Frases, que se eu as recordasse todas, não fugiriam da nossa realidade, mesmo que por tão óbvias.

Meu primeiro post, recordo, foi por conta de um lindo anel que perdi. Ainda hoje lamento o perdido objeto lindo...delirantemente lindo! e então minha avó: “Vão-se os anéis, ficam os dedos.”

Na solidão de meu aprendizado, muito busquei (foi bom assim) para conseguir atingir metas e objetivos, que por sob observação, passei a considerar como preponderantes. – nada que tenha conseguido até agora. Nada que me indique que tomei o rumo certo.

Eu queria ter um blog e ai descobri que um blog podia ser não apenas um meio de comunicação, mas muito mais do que um diário on-line! Poderia ser a expressão do que penso, muito mais do que sobre “anéis e dedos”.

Antes de continuar qualquer atitude, eu passei a observar – em primeiro os famosos e aristocráticos “blogueiros”, depois pesquisando por conta própria e embora o meu assunto de interesse fosse “política”, eu encontrei um Biólogo, e sim, um jornalista, cujo blog admiro até hoje.

Meu recém adquirido amigo biólogo me incentivou a me manter como “blogger”, me ensinou muitas das coisas que eu sei fazer, algumas que não consegui...mas era alguém muito disposto, muito disponível para “cambiar” ! Há dois anos, me fez uma festa de aniversário, em seu blog, com bolo e tudo!

Era feliz, estabelecido, amorável, amoroso... Em 23 de dezembro passado seu último post, em seu blog principal, desejava a todos os amigos muito boas festas, e com todas as “graças” muito engraçadas que ele sabia fazer.

Por motivo insuspeito, ele deletou seu blog de mais de dois anos, poucos dias depois, e, todos os outros profissionais (biologia) e sem uma despedida ou justificativa...justo ele, sempre tão gentil e sempre tão disponível! Tão afeito às suas amizades.

Sinto muita saudade de um dos meus primeiros amigos e “professor” de blog: Oscar Luiz P.S.N. (nome completo)! Que esteja feliz e onde quer que esteja, envio daqui o meu carinho pelas muitas horas perdidas a me ensinar tanta coisa, inclusive, generosidade!

Ao meu segundo amigo, “jornalista de corpo e alma”, daqueles “velhos tempos”...ainda hoje nos falamos por telefone - foi muito bom saber que ele está bem e que tem ótimas idéias e ideais para as próximas eleições. Eu o admiro muito e sei que jornalistas importantes, como Ricardo Noblat, comigo compartilham essa admiração.

A essas duas pessoas maravilhosas e sempre tão prontificadas, o meu imenso abraço porque (até por causa de vocês), eu estou aqui.

Aqui bem próximo, um amigo muito especial, dentre outros amigos, Fabrízio - essa mensagem também é para você!

Obrigada amigões!

AMC

quinta-feira, setembro 17, 2009

Rio2016 Instalações Olímpicas na cidade

O vídeo é muito bonito e você poderá observar que não aparece nenhuma favela - como que por encanto elas desapareceram

Pobre Rio de Janeiro!

Um pesado sacrifício incompreendido

chico caruso

O governador Sergio Cabral Filho, que tanto se sacrifica pelo Rio, foi ao lançamento do Guia Michelin sobre o Rio de Janeiro (ou será sobre o Brasil?). Olhem só o enorme sacrifício do governador: Paris em meados de setembro é “dégoutant”!
Mas se ele não fosse, o Guia Michelin com certeza encalharia nas prateleiras das livrarias. Já com sua presença em Paris, não há francês que não vá comprar seu exemplar.
Enquanto isso, os cariocas, ingratos, reclamam da cidade em que vivem e ficam plantando notícias feias nos jornais. Nossas autoridades fazendo um imenso sacrifício para mostrar ao mundo como nosso país é seguro, belo e hospitaleiro e vejam o que fazem cariocas de má fé, escrevem cartas para O Globo a fim de se lamuriar, relatando pequenos incidentes, tais como:
1) pedrinha de dez quilos atirada no vidro da frente de um carro atinge a cabeça de uma professora que está há dez dias em um CTI;
2) o corpo de um anônimo jaz numa das esquinas mais famosas da cidade, Vinícius de Moraes (ex-Montenegro) com Visconde de Pirajá, em plena manhã de sol na tão cantada Ipanema;

3) um edifício, com certeza de bacanas trogloditas de direita, também à luz do dia e no Leblon, bairro onde mora o governador com sua família, foi assaltado por sofridos bandidos armados com fuzis e granadas de mão. Mas a classe melhora a cada dia: o sucesso da empreitada foi total. Eles puderam fugir levando seu tão suado butín, tranquilamente;

4) uma família inteira, relapsa e pouca ciosa do dever de todo cidadão, cuidar dos seus, se deixa fazer de refém por pobres bandidos que muito sofreram na infância e ainda dá trabalho à policia. É o cúmulo, não é não?;

5) desocupados, sem ser por mal e apenas para se distrair, fecham o túnel Zuzú Angel, que liga a Barra a São Conrado. Um breve transtorno no trânsito e já reclamam...
O pobre governador se esfalfando em Paris, até um mágico fingiu quebrar seu dedo e ele se assustou muito, em um jantar em casa dos barões de Waldmer, ela, a brasileira Silvia Amélia. Vejam a que ponto vai o sacrifício do homem! Mas o mágico era só mágico... (coluna Gente Boa, Segundo Caderno, O Globo).
O povo é mesmo muito ingrato!

Fonte: Blog Maria Helena

Borboleta no cosmo

Nebulosa captada pelo telescópio Hubble mostra que as formas se repetem na natureza

espaco1

Depois de uma reforma feita em pleno cosmo pela tripulação do ônibus espacial Atlantis, em maio, o telescópio Hubble voltou a deslumbrar o mundo na semana passada com suas fotos espetaculares do universo. Munido de novas câmeras, baterias, computadores e giroscópios, o veterano telescópio captou, entre outras imagens, a da nebulosa NGC 6302, resultado de uma explosão estelar ocorrida há 6 000 anos. A luz que o Hubble enxergou partiu da nebulosa há 3 800 anos. O que surpreende na NGC 6302 é que ela se parece com uma imensa borboleta de asas abertas em pleno voo.

É de imaginar por que a movimentação das forças cósmicas produziu uma nuvem de matéria estelar com aparência tão familiar à natureza de nosso planeta. A ciência já apresentou uma resposta a essa questão por meio da teoria da geometria fractal, criada por Benoit Mandelbrot, matemático polonês radicado nos Estados Unidos. Usando programas de computador, Mandelbrot formulou a tese de que, ao contrário do que supõe o senso comum, a natureza tem um repertório reduzido de formas, que se repetem indefinidamente nos reinos animal, vegetal e mineral. O sistema vascular que transporta a seiva nas folhas das plantas é similar aos deltas dos rios. Vistos com microscópio, os cristais dos flocos de neve seguem os mesmos padrões geométricos. Assim como as penas dos pavões e as conchas do mar. Não é de espantar, portanto, que uma nebulosa nos confins do espaço assuma a forma de uma borboleta bem terrestre. Só mesmo o grande Hubble – que com a reforma deve continuar funcionando até 2014 – para enxergar tão longe e trazer à tona essa semelhança.

Fonte: Veja

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails