"Deus me respeita quando eu trabalho. Mas me ama quando eu canto."

quarta-feira, outubro 31, 2007

Trânsito em SP ? Poluição? "magina"!!!

Trânsito em Los Angelos - com 23 faixas
clique sobre a foto para ampliar

A Copa de 2014 é nossa

Futebol é bola na rede – A Copa de 2014 é nossa

Lucia Hippolito

OK, futebol não é assunto de vida e morte. É muito mais importante!

OK, sediar uma Copa do Mundo é bacana prá burro. Não há evento (esportivo, político, bélico, nada) que reúna tanto interesse no mundo inteiro.

São bilhões de pessoas grudadas em aparelhos de rádio, TV, telões ou presentes nos estádios.

Mas o Brasil era candidato único a sediar a Copa de 2014.

Precisava aquele trem da alegria, aquela super-mega boca-livre, com o presidente da República e NOVE (!!!) governadores?!

Ah, mas Ricardo Teixeira, presidente da CBF, é muito poderoso.

Tão poderoso que controlou a CPI realizada há alguns anos no Congresso.Tão poderoso, que tem influência decisiva na escolha das cidades que vão sediar jogos da Copa do Mundo.

E o Pelé, expressão maior do esporte no Brasil, por que não estava presente?

Ah, porque Ricardo Teixeira, presidente da CBF, é muito poderoso. Ele e Pelé se odeiam. E o poderoso Ricardo Teixeira barra a presença de Pelé nesses eventos da CBF.

(Adivinhem de quem a posteridade vai se lembrar e quem a posteridade vai brindar com o anonimato.)

Mas Ricardo Teixeira apresentou a candidatura do Brasil como se o fato de sediar a Copa do Mundo fosse a redenção do país.

Segundo ele, com a Copa consertaremos as estradas, os portos, os aeroportos. Erradicaremos o analfabetismo.

Haverá maiores e melhores hospitais.

O problema de segurança das cidades brasileiras estará resolvido, assim como a infraestrutura de transportes urbanos.

Menos, dr. Teixeira. Menos.

A campanha do Rio de Janeiro para sediar os Jogos Pan-Americanos de 2007 incluíam uma linha de metrô até a Barra da Tijuca (não saiu do papel); a completa despoluição da baía de Guanabara (não saiu do papel); a completa dragagem da lagoa Rodrigo de Freitas (realizada apenas parcialmente).

O Brasil precisa aprender que quem não cumpre promessa de campanha é político.

Um país precisa assumir os compromissos assumidos, sob pena de não atrair mais investimentos estrangeiros.

Quem é que quer botar seu dinheiro num país que não cumpre contratos?

Além disso, a Fifa não é a Odepa. A Fifa é rigorosíssima quanto à fiscalização e à cobrança do cumprimento de metas.

A partir de 2008, uma comissão da Fifa se muda para o Brasil e vai acompanhar in loco o cumprimento das promessas feitas durante a campanha para sediar a Copa.

Caso não cumpra os compromissos, em 2012 o país pode ser descredenciado.

A Fifa conta com um grupo de emergência, uma espécie de G7 do futebol. São países que podem assumir a realização de uma Copa do Mundo de um dia para o outro, se ocorre algum problema com o país-sede: desorganização, guerra, catástrofe natural, epidemia, coisas assim.

Há muito dinheiro em jogo, e não se pode deixar nada para o improviso.

Inglaterra, Alemanha, França, Estados Unidos, Itália, entre outros, estão aptos a sediar rapidinho uma Copa do Mundo.

Vamos esperar que os compromissos assumidos hoje pelo Brasil com a Fifa sejam cumpridos, para que o país possa realizar uma belíssima Copa do Mundo em 2014.

A gente merece, né não?

Daqui para 2014, temos sete anos para o Brasil planejar cuidadosamente as obras que precisam ser feitas, elaborar orçamentos realistas e cumprir metas e prazos.

Não deveria ser muito difícil.

2014...os que mais comemoraram

terça-feira, outubro 30, 2007

GG!!! Cadê você!????

Assim são os "minis" do Governo Lula.


Alô Bahia!


Lucia Hippolito


"Está na hora de uma campanha.

A Fundação Casa de Jorge Amado está em ruínas e sem um tostão furado. Nem Bolsa-Família recebe.

Sendo o ministro Gil um baiano, que não teria estreado (baiano não nasce, estréia) sem a existência e a militância democrática de Jorge Amado, é inconcebível que o Ministério da Cultura deixe a Casa de Jorge Amado à míngua.

É inconcebível que Caetano, Bethânia e Gal não tenham saído em passeata, exigindo que o Ministério da Cultura tome providências – os três poderiam arcar com o financiamento, como fazem artistas no mundo inteiro, mas deixa para lá.

Pelo menos uma passeata poderiam ter feito.

A triste realidade é que a família de Jorge Amado está vendendo o acervo de um dos maiores escritores da literatura mundial, patrimônio brasileiro, para a Universidade de Harvard.

Incrível como os sindicatos, o PT, as centrais sindicais acham que é importante lutar pela reestatização da Vale do Rio Doce, uma empresa que, depois de privatizada, orgulha muito mais o Brasil do que quando era estatal, ineficiente, prenhe de clientelismo, corrupção, nepotismo e outras mazelas.

Mas estes mesmos sindicatos, este mesmo PT, estas mesmas centrais sindicais não se escandalizam com a venda de um patrimônio nacional infinitamente mais importante: o acervo de mais de 250 mil peças da coleção particular de Jorge Amado para a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Em homenagem a meu queridíssimo amigo João Ubaldo Ribeiro, encampo esta luta e convido vocês, gentis e combativos freqüentadores deste blog, a esta cruzada cívica.

Não é possível que Harvard fique com o acervo de Jorge Amado e nós, com Mangabeira Unger!!!!!

Vamos retomar nossas passeatas virtuais.

Ao computador! Vamos entupir as caixas postais dos senadores, deputados, do Ministério da Cultura, da Casa Civil da Presidência!

Queremos o acervo de Jorge Amado no Brasil, na Bahia, na Fundação Casa de Jorge Amado!

E que Harvard receba de volta seu full-professor, Mr. Mangabeira-Unger!

Ao trabalho!"

...e com banheiras de hidro-massagem!

Piada infanto-juvenil

Como se cria um Deputado

1 Nota de dólar
1 Dose de falta de caráter
1 Dose de ganância
1 Dose de mentira
1 pitada de merda

Obs.: Não exagerar na merda senão
você cria um presidente.

domingo, outubro 28, 2007

Raro Amor


"Amamos tão pouco e tão mal, com uma metade ou até mesmo com um quarto de nós mesmos. E amamos, no outro,alguns pedaços escolhidos, os mais conhecidos, aqueles que nos causam menos medo. É tão raro amarmos alguém por inteiro, com aquilo que nos agrada e com aquilo que não nos agrada.
É tão raro sermos amados por inteiro, com nossas cavidades de sombra,com nossos dorsos de luz."

Trecho do livro: "O romance de Maria Madalena. Uma mulher admirável"

de Jean Yves Leloup

Ela está de frente ou de costas?


sábado, outubro 27, 2007

O Que Tinha de Ser

Por Vinícius e Tom Jobim


"Porque foste na vida
A última esperança
Encontrar-te me fez criança
Porque já eras meu
Sem eu saber sequer
Porque és o meu homem
E eu tua mulher
Porque tu me chegaste
Sem me dizer que vinhas
E as tuas mãos foram minhas com calma
Porque foste em minha alma
Como um amanhecer
Porque foste o que tinha de ser!"

*
Ouvir essa canção...
Magia em uma mulher e outra.
Eu tenho uma, mas não tenho a outra.
Interpretes:
Elis Regina
Maria Bethânia


sexta-feira, outubro 26, 2007

Poeminha

Poeminha sobre o mistério do tempo

O Despertador Desperta


Acordo com sono e medo:


Porque a noite é tão curta


E fica tarde tão cedo?



Hoje é sexta!!!

Problemas com a base, Lula? Bobagem! Chame o PSDB


Do blog Reinaldo Azevedo


Por Gabriela Guerreiro, na
Folha Online. Volto depois:

O governo não conseguiu fechar um acordo com os deputados que integram a frente parlamentar da saúde para votar, na semana que vem, a emenda 29 na Câmara --que destina recursos federais para o setor. Os deputados insistem que o governo destine 10% de sua receita bruta para a saúde, o que resultaria no repasse anual de R$ 70 bilhões.

Em encontro com a frente parlamentar no Palácio do Planalto, os ministros Guido Mantega (Fazenda), José Gomes Temporão (Saúde) e Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) deixaram claro que não terão condições de atender o pedido --o que provocou um impasse do governo com os deputados.

"O governo precisa melhorar sua proposta. Do jeito que está, não dá para votarmos a regulamentação na terça-feira. Queremos tudo vinculado à receita bruta para que o ministro da Saúde não fique de joelhos todo ano na frente do ministro da Fazenda", disse o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), presidente da frente.

O líder do governo na Câmara, José Múcio (PTB-PE), afirmou que os ministros apresentaram a proposta "possível" de ser acatada pelo Executivo. "Se tivéssemos esses recursos, se o possível fosse igual ao desejado, gostaríamos de aplicar isso em quatro anos. Mas isso não está sendo possível."

O governo aceita o limite máximo de R$ 50 bilhões para a saúde, mas não está disposto a acatar a vinculação do percentual da emenda com a sua receita bruta. No máximo, discute a vinculação da emenda ao PIB (Produto Interno Bruto) somado à inflação.

Múcio disse que a emenda 29 será votada na Câmara na semana que vem "sem a menor sombra de dúvidas", mesmo com a disposição da frente da saúde em barrar a matéria. "Vamos passar o final de semana discutindo para que o relator da matéria melhore o seu parecer. Precisamos ceder um pouco, tanto eles quando o governo. A gente precisa ceder. O que se quer é impossível", reconheceu.

Negociações
O governo esperava decidir ainda nesta quinta-feira os percentuais que serão discriminados na emenda 29. A idéia é assegurar a ampliação das verbas que serão repassadas pela União, pelos Estados e municípios para o setor. Diante do impasse, vai manter as negociações antes de fechar os percentuais.

As definições sobre os recursos para saúde fazem parte das conversas políticas articuladas para a aprovação da proposta que prorroga a cobrança da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) até 2011, em tramitação no Senado.

A oposição exige garantias de que será ampliado o valor dos recursos para a saúde para apoiar a prorrogação da CPMF. O governo vai usar a emenda 29 como mecanismo para negociar com o PSDB o aumento de recursos para o setor.

Sem citar valores que serão fixados para a saúde, o ministro José Gomes Temporão ressaltou nesta quinta-feira que a previsão é de R$ 36 bilhões referentes ao PAC (Plano de Aceleração de Crescimento) da Saúde apenas para 2008.

Temporão afirmou, no entanto, que o governo não pretende adotar qualquer proposta de indexação dos gastos com a receita bruta — como defendem os deputados.

Voltei
Curto e simples. Problemas com a base, Lula? Chame o PSDB, e tudo se resolve .

Auto-falante????

Reinaldo Azevedo

...

PS 1 - A propósito: no artigo de Eugênio Bucci, publicado no Observatório, em que ele defende a “formação continuada” para jornalistas, encontra-se a palavra “auto-falantes”. O único “auto-falante” do Observatório é Alberto Dines. Aquele aparelho que amplia o som para vender pamonhas assassinas às sete da manhã do sábado, quando eu estou indo dormir, chama-se “alto-falante”. Com “L”. Já fiz a correção. O erro continua lá.

PS2 – Dines afirmou que “enfezado” vem de “fezes”. Eu o corrigi. Não vem. Ele escondeu a correção no pé de um artigo e manteve o erro no texto original. E, vejam só, atribuiu a correção a Deonísio da Silva — que, não duvido, deve tê-lo alertado. Só que o pit bull aqui, que “baba sangue”, antecipou-se em seu socorro


Ô Deonísio, peça ao "auto-falante" que corrija o "auto-falante".

Anos de vida

Daqui a exatamente trinta dias mais um ano de vida.
Rapidamente se passam os segundos; rápidas as horas; corridos os dias e quando se dá conta, é passado mais um ano.

A cada ano, mais longe estou de onde vim, e, a cada dia mais próxima estou do destino final.


Decepção

PSDB: um Engov antes, outro depois

Reinaldo Azevedo

Muito comoventes as imagens dos tucanos almoçando com os petistas para ver qual será a melhor maneira de continuar a tungar os brasileiros.

Um erro muito repetido vira estratégia, certo? O PSDB comete o segundo. Logo, trata-se mesmo de um método. O primeiro importante foi não ter tentado o impedimento de Lula, na certeza de que ele cairia de podre. Não caiu. E as instituições é que apodreceram um pouco mais.

O segundo é este conúbio vergonhoso de agora, que torna o Apedeuta o condestável incontestável da política brasileira.

Das duas uma: ou Lula usa o PSDB e depois joga o bagaço fora ou transforma o partido em linha-auxiliar do petismo. Em qualquer dos casos, o PSDB prova que não existe como partido.

É evidente que está traindo 40 milhões de votos.

Estou aqui deixando à mão remédios antienjôo para enfrentar a retórica do adesismo altaneiro em nome dos interesses da pátria.

Há muitas diferenças entre o PT e o PSDB, sem dúvida. Uma das principais está no fato de que os petistas privilegiam o seu eleitorado, e os tucanos temem o deles e invejam o do outro.

Gastança + lambança

Deu em O Globo

Decreto cria empresa para gerir TV pública

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que vai gerir a TV pública, foi criada oficialmente ontem por decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A empresa pública — uma sociedade anônima de capital fechado — começa a funcionar com capital de R$ 200 milhões. O decreto autoriza o governo a repassar R$ 20 milhões do Orçamento da União para as atividades da EBC. Foram nomeados a presidente da empresa, jornalista Tereza Cruvinel, e o diretor-geral, Orlando Senna.

quinta-feira, outubro 25, 2007

Crer!!!? Em quem???

O muito triste é pensar que houve tempo em que podíamos gritar:

- Chame a polícia!!!

Que "polícia" poderíamos chamar, hoje ?

Não existe padre, não existe Missa, não existe regra..não, não há mais.

Não existe "ficção" que nos possa resgatar a nossa honra e a nossa alma.

Não mais existe polícia ou política, apenas larápios.

Eles continuarão a negociar a nossa morte, enquanto negociam as vidas deles: seus poderes, suas prioridades, seus reinados e a continuação de tudo isso.

*
Deixar ao seu filho(a), ao seu neto(a), mais
do que isso, não é apenas sua
obrigação, deve ser a sua devoção.



Assuntos do dia no "Meninas do Jô"

Primeiro de um

Segundo de dois
Terceiro de três e mais...

quarta-feira, outubro 24, 2007

E la nave va



Lucia Hippolito

As autoridades brasileiras responsáveis (?!) pelo setor aéreo decretaram que o caos nos aeroportos já terminou.

E lá se foram alegremente tratar da vidinha.

O presidente Lula voa no Aerolula. A ministra Dilma Roussef está nos Estados Unidos. “Vende” o PAC a empresários americanos.

Nos intervalos, assiste a uma ópera. (Faz muito bem, ministra. Ópera é uma das grandes delícias do mundo.)

O ministro Jobim brinca de Jim das Selvas, com macacos e cobras, fantasiado de soldado.

E o presidente da Anac brinca de “daqui não saio, daqui ninguém me tira”.

Todos voando em jatos da FAB, naturalmente.

Enquanto isso, no mundo real, o caos nunca terminou. Desde o acidente da Gol, em 2006, é uma infindável sucessão de atrasos e cancelamentos.

Ah, sim, e de maus-tratos por parte dos funcionários das companhias aéreas e da Infraero, truculência, falta de educação, falta de informação, desprezo olímpico pelos problemas dos passageiros.

E nós pagando...

O prometido desafogo de Congonhas não aconteceu.

A prometida redistribuição da malha por outros aeroportos não aconteceu.

O enquadramento das companhias aéreas não aconteceu.

A redução de vôos só acontece em dia de chuva, quando ainda por cima há pane em instrumentos.

Ou seja, as iniciativas administrativas não aconteceram.

A garantida demissão do presidente da Anac? Também não aconteceu.

O Sr. Zuanazzi zomba do ministro Jobim e declara que não sai (mais um Renan, meu Deus!).

Amparado em dois padrinhos fortes, a ministra Dilma e o ministro Mares Guia, o dirigente da agência declara que só o presidente da República pode demiti-lo.

Mas o presidente Lula está ocupado demais, negociando a aprovação da prorrogação da CPMF no Senado.

E assim, órfãos de autoridade, os consumidores de transporte aéreo vão se virando como podem.

Destratados pelas companhias, abandonados pelo governo, perdendo reuniões, atrasando encontros, cancelando compromissos profissionais.

Num país com as dimensões do Brasil, em que os governos vêm consistentemente cometendo equívocos em matéria de transporte há pelo menos 50 anos, não dá para reclamar nem com o bispo.

Provavelmente, Sua Eminência também está preso em algum aeroporto.

terça-feira, outubro 23, 2007

A caminho do ralo


A encrenca da CPMF

Lucia Hippolito

O governo Lula resumiu todo o seu planejamento para os próximos anos na prorrogação da cobrança da CPMF.
Com ela pretende financiar os três últimos anos do terceiro mandato (PAC, Bolsa-Família, campanhas para prefeitos e sucessão presidencial de 2010).

Não tem Plano B, não formulou alternativas para a cobrança do imposto.

E este não é um “defeito” do governo Lula. Nenhum governo abre mão voluntariamente de um imposto fácil, de cobrança automática. A CPMF é o imposto da preguiça.

Convenhamos que é muito mais simples extrair esta bolada de dinheiro da população do que queimar as pestanas na proposição de uma reforma tributária minimamente decente.

Mas o governo Lula conseguiu se meter numa tremenda encrenca.

Perdeu tempo demais com a negociação na Câmara. Perdeu tempo demais sustentando o senador Renan Calheiros na cadeira de presidente do Senado.

Deixou acumularem-se as reivindicações (eufemismo para chantagem pura e simples) da base aliada, tanto na Câmara (mais intensas) quanto no Senado.

Não compreendeu que senadores têm que ser tratados de forma diferente dos deputados.

Resultado: deu no que deu.

Os prazos estão apertadíssimos. Se a CPMF não for aprovada até 31 de dezembro, sua cobrança será extinta. Por isso mesmo, não se pode aprovar a prorrogação de algo que não existe mais.

Todo o processo teria que ser reiniciado, e a partir da Câmara dos Deputados.

Nova emenda constitucional, propondo a recriação da CPMF.

Absoluta incerteza para o governo, do ponto de vista prático.

Tremenda derrota para o governo, do ponto de vista político.

Para conseguir aprovar ainda este ano, o governo precisa correr.

E não dispõe mais de vários instrumentos de “persuasão”.

Não pode mais acenar com mudança de partido, porque o TSE já declarou que senadores que mudaram de partido vão perder o mandato – apenas não se sabe a partir de quando.

Mas esta fonte secou.

No capítulo das nomeações, tampouco existem cargos à disposição de quem não pertence à base aliada.

E finalmente, quanto à liberação de recursos para emendas parlamentares, estas constituem um atrativo muito menor para senadores do que para deputados.

Afinal, senadores são eleitos pelo estado inteiro; em geral fazem campanha com o candidato ao governo. Portanto, dispõem de recursos para campanha.

E há sempre um candidato a suplente com a bolsa cheia de dinheiro para financiar a campanha do titular.

Por isso, não restam muitos coelhos na cartola do governo.

Agora é que o ministro Mares Guia vai ter que mostrar serviço e justificar sua fama de mineiro habilidoso.

Ri Muito!!! "William Waack e Zelda "Mer..." Melo"

CPMF = Renda de 40 BILHÕES ao ano para Governo Federal!


segunda-feira, outubro 22, 2007

Muito divertido!

A Morte de Tia Josefa

por Jana

Toda a família em Cuba se surpreendeu quando chegou de Miami um ataúde com o cadáver de uma tia muito querida. O corpo estava tão apertado no caixão que o rosto estava colado no visor de cristal.... Quando abriram o caixão encontraram uma carta, presa na roupa com um alfinete, que dizia assim:

"Queridos Papai e Mamãe,
Estou enviando-lhes os restos de tia Josefa para que façam seu enterro em Cuba, como ela queria.


Desculpem por não poder acompanhá-la, mas vocês compreenderão que tive muitos gastos com todas as coisas que, aproveitando as circunstâncias, lhes envio.Vocês encontrarão, dentro do caixão, sob o corpo, o seguinte:

12 latas de atum Bumble Bee,
12 frascos de condicionador,
12 de xampu Paul Mitchell,
12 frascos de Vaselina Intensive Care (muito boa para a pele. Não serve para cozinhar!),
12 tubos de pasta de dente Crest,
12 escovas de dente,
12 latas de Spam das boas (são espanholas),
4 latas de chouriço El Miño.

Repartam com a família, sem brigas! Nos pés de titia estão um par de tênis Reebok novos, tamanho 39, para o Joseíto (é para ele, pois com o cadáver de titio não se mandou nada para ele, e ele ficou amuado).
Sob a cabeça há 4 pares de "popis" novos para os filhos de Antônio, são de cores diferentes (por favor, repito não briguem!).
A tia está vestida com 15 pulôveres Ralph Lauren, um é para o Robertinho e os demais para seus filhos e netos.
Ela também usa uma dezena de sutians Wonder Bra (meu favorito), dividam entre as mulheres;
E também os 20 esmaltes de unhas Revlon que estão nos cantos do caixão.
As três dezenas de calcinhas Victoria's Secret devem ser repartidas entre minhas sobrinhas e primas.
A titia também está vestida com nove calças Docker's e 3 jeans Lee. Papai, fique com 3, e as outras são para os meninos.
O relógio suíço que papai me pediu está no pulso esquerdo da titia. Ela também está usando o que mamãe pediu (pulseiras, anéis, etc).
A gargantilha que titia está usando é para a prima Rebeca, e também os anéis que ela tem nos pés. E os oito pares de meias Chanel que ela veste são para repartir entre as conhecidas e amigas, ou, se quiserem, as vendam (por favor, não briguem por causa destas coisas, não briguem).
A dentadura que pusemos na titia é para o vovô, que ainda que não tenha muito o que mastigar, com ela se dará melhor (que ele a use, custou caro).
Os óculos bifocais são para o Alfredito, pois são do mesmo grau que ele usa, e também o chapéu que a tia usa.
Os aparelhos para surdez que ela tem nos ouvidos são para a Carola.
Eles não são exatamente os que ela necessita, mas que os use mesmo assim, porque são caríssimos.
Os olhos da titia não são dela, são de vidro. Tirem-nos e nas órbitas vão encontrar a corrente de ouro para o Gustavo e o anel de brilhantes para o casamento da Katiuska.
A peruca platinada, com reflexos dourados, que a titia usa, também é para a Katiuska, que vai brilhar, linda, em seu casamento.

Com amor, sua filha

Carmencita.

P.S.:1:Por favor, arrumem uma roupa para vestir a tia para o enterro e mandem rezar uma missa pelo descanso de sua alma, pois realmente ela ajudou até depois de morta.
Como vocês repararam o caixão é de madeira boa (não dá cupim); podem desmontá-lo e fazer os pés da cama de mamãe e outros consertos em casa.
O vidro do caixão serve para fazer um porta-retrato da fotografia da vovó, que está, há anos, precisando de um novo. Com o forro do caixão, que é de cetim branco (US$ 20,99 o metro), Katiuska pode fazer o seu vestido de noiva.
Na alegria destes presentes, não esqueçam de vestir a titia para o enterro!!!

Com amor,

Carmencita.

P.S.:2:Com a morte de tia Josefa, tia Blanca caiu doente. Façamos pedidos com moderação. Bicicleta não cabe nem desmontada e carburador de Niva, modelo 1968, aqui ninguém ouviu falar."

"Sois Rei !?"


Sou ou não sou?
Foi ou não foi?
Era ou não era?
Já era?
Tem que esperar muito?
Fica sendo?
Pode regar?
É uma disputa automobilística ou de escola de samba?
Dançou!?
Aff...finalmente!
Demorou, mas chegou!
*
"Resultado é mantido e Raikkonen é campeão"

(Minha homenagem à simpática campanha promocional da Petrobrás.)

domingo, outubro 21, 2007

Santa Elegância

Artigo muito interessante sobre o assunto!

Muita Disposição


Fã confesso de Ayrton Senna, Lewis Hamilton pretende imitar o astro brasileiro caso vença o GP do Brasil deste domingo. Como Ayrton fazia em suas vitórias, o piloto da McLaren quer festejar desfilando de carro com a bandeira do seu país nas mãos.

- Se alguém me der a bandeira da Grã Bretanha após a bandeirada, seria legal carregá-la. O meu herói, Ayrton Senna, costumava fazer isso aqui. O Massa fez isso no ano passado. Seria bem legal – garante o líder da classificação, em matéria do jornal inglês “Daily Mirror”.

Mas essa seria apenas parte da festa prometida por Lewis Hamilton caso se torne o primeiro estreante a ser campeão da Fórmula 1. O fenômeno inglês quer revolucionar na comemoração. -

Quando uma corrida acaba é chato. Você nunca vê os pilotos fazendo o 360. Seria legal acabar uma corrida e fazer o 360. Se eu vencer, com certeza farei isso. As equipes não gostam, porque você pode danificar alguma coisa, mas, se quebrar, eu pagarei. Duvido que eles fiquem felizes, mas vou fazer mesmo assim.
*
Nem sou fã, mas o que quer que aconteça, ele já entrou para a história do esporte.
Sorte boa para todos!

sábado, outubro 20, 2007

Linda Canção

video

Corretíssima

por Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Sem Lei Nem Grei

Poderia acrescentar ‘e sem dicionário’, já que o presidente Lula faz uso estranho das palavras. Ele não negocia, nem faz barganhas, segundo diz a torto e a direito. Mas para não perder o rico dinheirinho da generosa Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, temos presenciado ‘coisas’ que eu chamaria de barganhas.
E não é de hoje. Em 2003, para aprovar essa magnífica contribuição do brasileiro ao seu país, o Governo Lula prometeu uma reforma tributária. Conseguiu a prorrogação e nós estamos esperando a reforma até hoje.
O presidente não esconde a importância que dá à CPMF. Disse, mais de uma vez, e com ênfase sempre crescente, que “o país não pode prescindir dos 40 bilhões da CPMF”. Com certeza. Como vai poder manter tudo que prometeu para ser o convidado de honra nos palanques de 2010, como parece ser seu maior desejo?
Será que ele sabe que de janeiro a setembro deste ano entraram nos cofres da União, em impostos e contribuições, incluindo aí a CPMF, R$ 429,967 bilhões de reais? É muito dinheiro. Muito mesmo. Mas não deu, ao que parece, para sustentar o Brasil. Pergunto se ele sabe. Talvez faça parte das coisas que não sabe, apesar de ter sido chamado, carinhosamente, de ‘school boy’ pelo seu companheiro Bush.
Todos os dias lemos notícias desanimadoras sobre o estado dos hospitais, sobre doenças que já pensávamos erradicadas, sobre mortes que poderiam ter sido evitadas. Até uma epidemia de sarampo estranhíssima foi descoberta no interior da Bahia. A tuberculose, chaga erradicada em todo o mundo civilizado, aqui tem encontrado terreno fértil. O mosquito da dengue, esse se fez: encontrou o país ideal, com o clima certo e a ignorância também do tamanho certo.
Temos uma única invenção de porte. Alberto Santos Dumont, brasileiro, foi o inventor do avião. Pela importância que essa máquina adquiriu na História do Mundo, era de se esperar que aqui fosse ser cultivado o maior respeito por ela. É o contrário. Nem a aviação comercial, nem a aviação militar, fazem jus ao gênio de Santos Dumont. A comercial, todos sabemos o caos em que se encontra. Não há dinheiro nem para reformar e manter em perfeito estado de funcionamento o aeroporto da maior cidade turística do Brasil, o antigo Galeão, hoje Antonio Carlos Jobim. A aviação militar, segundo declaração recente do Ministro Saito, está em franca decadência.
As estradas continuam como bela homenagem á Lua. São crateras que se unem para formar uma via de comunicação. Que fez o governo? Recorreu ao pecado capital para um petista: à privatização. Com outro nome, naturalmente. Concessão. Seja lá que nome tenha, o fato é que o estado aceitou privatizar, o que eu estaria comemorando, não fosse um pequeno detalhe: e o imposto pago para manter as estradas? O que foi feito dele?
Ouço dizer que as zelites é que são contra a CPMF, já que o pobre não paga imposto. Vamos por partes: o pobre, pobre mesmo, esse que dorme em nossas ruas cada vez em maior número, esse nem paga, nem vive. Mas todas as outras classes pagam muitos impostos, com a exceção da classe AAA: essa investe naquilo que lhe dá isenção de IR e se aproveita também para não ser garfada pela CPMF.
Pagar impostos, desde que tivéssemos retorno, não seria nenhuma desgraça. Seria até muito bom se o governo nos oferecesse saúde, educação, segurança, transportes públicos de qualidade, uma política social eficiente e sem demagogia barata. Mas não é o que acontece. O dinheiro dos impostos escoa por milhões de ralos. A nós, os pagadores, nunca é oferecida uma explicação. E que não me venham dizer que esse economês de quinta categoria falado pelas autoridades de plantão é uma explicação. Não é. É uma embromação.
Queria que o presidente fosse á TV explicar onde foram parar esses quatrocentos e tantos bilhões arrecadados até 30 de setembro. Em linguagem simples e direta. E porque, já que o país fenece sem a CPMF intocada, agora que encontrou uma ligeira oposição, já começa a ceder aqui e ali. Ou é vital, ou não é.
Parece, no entanto, que vital não é. Tem servido para trocas por cargos, tem servido para escambos entre o governo e os parlamentares. Já passou pela Câmara. Passará pelo Senado, casa de revisão, onde a oposição ainda tem força?
E que por favor a oposição não perca tempo mostrando-se ofendida com o uso do apelido Demos pelo presidente Lula. Chega de infantilidades e de gozação com a nossa cara. Escolheram esse nome, assim, de repente, porque quiseram e não é crível que ao menos um integrante do PFL não tenha aventado a possibilidade da utilização do diminutivo Demo.
Eis uma boa oportunidade para imitar o presidente que transformou seu apelido que, afinal, nomeia um molusco, em sobrenome de família. Fez do limão uma limonada bem feita. Façam o mesmo com Demo: diabo, pessoa muito astuciosa ou turbulenta, segundo um bom dicionário. Ajam como Demos e atormentem o Governo até conseguirem o que for melhor para o Brasil. Sejam turbulentos, mas não se curvem às exigências de um Governo que, vencida essa etapa, lhes dará um bom “até á vista!”. Ou então acabem logo com a farsa e dispam a camisa da oposição. Seremos um país sui generis: sem ser uma ditadura, seremos todos situação.

PSDB & CPMF

Virgílio: PSDB está 'aberto à negociação' da CPMF

ELIZABETH LOPES - Agencia Estado

SÃO PAULO - Lideranças do PSDB admitiram hoje a possibilidade de negociar com o governo federal a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Depois de um encontro no Palácio dos Bandeirantes, o líder da legenda no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que seu partido está "aberto às negociações", desde que o governo federal tome a iniciativa de apresentar uma pauta mínima que inclua a redução da carga tributária, a redução dos gastos correntes e a desoneração de impostos e tributos.


Virgílio alertou que o governo federal "já perdeu muito tempo" e que a "paciência dos tucanos em relação à carga tributária do País está se esgotando". Além disso, Virgílio destacou que sem os votos do PSDB no Senado o governo federal não conseguirá aprovar a prorrogação da CPMF. "Apenas um lembrete estatístico: sem a nossa ajuda, nunca, em matéria nenhuma, o governo obteve maioria (49 votos)", disse.

Virgílio disse também que sua legenda vai esperar a iniciativa do governo neste sentido. "Queremos aguardar as propostas do governo depois vamos elencar as nossas", disse. E ironizou: "Se o governo não quiser negociar, facilita o nosso trabalho, porque sem a nossa ajuda ele não terá os 49 votos necessários". Além de Virgílio, participaram da reunião no Palácio dos Bandeirantes os governadores José Serra (SP) e Aécio Neves (MG), o líder do PSDB na Câmara, Carlos Pannunzio, o presidente nacional da legenda, Tasso Jereissati, e o senador Sérgio Guerra (PE).


O Homem caminha de volta às cavernas! II

Estátua de Drummond é depredada no Rio

Depois das esculturas da exposição Cow Parade, foi a vez da estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade sofrer a ação dos vândalos nesta sexta-feira (19), no Rio de Janeiro. Segundo a polícia, um grupo de homens, ainda não identificados, roubou os óculos da estátua, que fica no calçadão da praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. De acordo com a 13ª DP (Copacabana), policiais fizeram buscas na região e conversaram com moradores.

(Foto: Ricardo Leoni / Ag. O Globo)


O Homem caminha de volta às cavernas!

Fontana di Trevi
Momento Marcante
Vândalos tingem de vermelho a Fontana di Trevi


sexta-feira, outubro 19, 2007

Hoje é Sexta!!!!


França perde Primeira-Dama

Por Ricardo Noblat

"Em 2005, eu encontrei uma pessoa, por quem fiquei apaixonada, e viajei com ela. Talvez com precipitação, visto o contexto que vivia na ocasião. Depois eu tentei de me comportar corretamente e voltei para reconstruir alguma coisa, para viver também sob os princípios aos quais estava habituada, com os quais fui educada. Foi por isso que tudo se passou rápidamente sem que eu tenha podido controlar os acontecimentos.
Nesses dois anos nada falei. Saiba que a vida pública não me agrada, ela não corresponde ao que sou no mais profundo de mim mesma: sou alguém que gosta de discreção, serenidade, tranquilidade. Eu tinha um marido que é um homem público, isso sempre soube, e eu lhe acompanhei por vinte anos. Esse combate o conduziu a um lugar proeminente. Eu acho que ele é formidável porque é um estadista, é um homem que pode fazer muito pela França e pelos franceses. Mas eu acho que não é meu lugar. Não é mais meu lugar. E como dizem os cronistas políticos, os franceses elegeram um homem, não um casal".
Cecilia Sarkozy, que se divorciou na última segunda-feira do presidente da França Nicolas Sarkozy, escolheu um jornal regional, "L'Est Republicain", para dar sua única entrevista que concedeu até agora explicando seu gesto, e falando do futuro. Leia
aqui

SE TUDO VOLTAR AO NORMAL

Haverá um dia em que todos voltaremos a ser Felizes !

Será o dia em que:

Ø LULA - será somente um animal marinho;

Ø JOBIM - será lembrado só pela música;

Ø PIRES - será apenas apoio da xícara;

Ø GENUÍNO - será algo verdadeiro;

Ø GENRO - apenas o marido da filha;

Ø FREUD - voltará a ser só o criador da Psicanálise;

Ø LORENZETTI - será só uma marca de chuveiro;

Ø GREENHALGH - voltará a ser um almirante que participou de nossa história;

Ø RENAN - será apenas o ex-Jogador de Voley da "geração de prata" - Dirceu, Palloci, Delúbio, Silvio Pereira, Berzoini, Gedimar, Aldebran, Aldomiro, Bargas, Expedito Veloso, Gushiken, Marcos Valério, Renan Calheiros e etc..., serão simples PRESIDIÁRIOS.

Será que esse dia vai chegar?


Sônia Modernel Rodrigues

Sem a menor importância

Sem isso não sou.
Inexisto.
Eu Amo Tudo Isso!

Bola Preta para a NET-Vítua

"nosso guia" e a ocultação de cadáveres

Por Josias de Souza

Conta outra. O presidente Lula disse que não vê a Playboy "desde que virei adulto". Mais uma lorota: em seu tempo de adolescente a revista não existia.


*

Pera ai,

Josias, mas isso já é implicancia com a classe dos torneiros mecânicos, porque ele poderia relacionar-se com revistas similares vindas da extinta União Soviética, mesmo ainda em Pernambuco, quando ainda era menos do que um ser adulto, né não!? Como sua mãe nasceu analfabeta, ela nem haveria de perceber sobre o que o correio entregava ao seu filho.

Pitomba, pitombinhas...esses jornalistas estão ficando sem noção das coisas!

quinta-feira, outubro 18, 2007

Morre a atriz Deborah Kerr

Noites Africanas


AGORA, TODOS PRIVATIZAM, SÓ MUDA O MÉTODO

Por Carlos Alberto Sardenberg

Privataria!

Quer dizer que o governo Lula entrega patrimônio nacional para empresas estrangeiras e não cobra um centavo por isso? De graça, as companhias espanholas vão ficar 25 anos cobrando pedágio e ganhando dinheiro com estradas construídas com imposto pago pelo contribuinte brasileiro!
Quer dizer que o governo Lula monta um modelo de privatização que favorece o capital estrangeiro? Só multinacionais, que trazem capital de fora, mais barato, conseguem assumir pedágios tão baixos. Mais ainda: o dólar tão barato, outra proeza de Lula, favorece os estrangeiros, pois a tarifa em dólar fica maior e as companhias gastarão menos reais para enviar seus polpudos lucros aos acionistas lá fora.
Nunca na história deste país um governo foi tão servil às empreiteiras multinacionais. Uma privataria!
Essa turma que pede a reestatização da Vale, por ter sido vendida a preço de banana, não vai pedir uma CPI da doação das estradas? Aliás, deveria ser uma CPI ampliada, pois a Vale, entregue por FHC, acaba de ganhar de Lula um trecho enorme da Ferrovia Norte-Sul.
Isso aí, pessoal. Quem quiser, pode usar os motes acima, sem pagar direitos autorais. Tão de graça quanto as rodovias. Agora, está mesmo muito engraçado observar Lula, seus ministros e os formadores da opinião de esquerda defenderem seu modelo de privatização de rodovias. Muitos começam por colocar a ressalva: não é privatização, é concessão. Tudo bem: concessão de uma via pública, construída pelo Estado, para uma empresa privada explorá-la por 25 anos, conforme regras, mas sempre sob a ótica do lucro.
Depois, segue o argumento, ao contrário da privatização tucana, com seus pedágios caros elitistas, a privatização, perdão, a concessão petista é popular-democrática, pois cobra pedágios bem baratinhos.
Assim é, temos agora uma privatização tucana e outra petista. E quer saber? ficou melhor para o país. Resta uma discussão de método, os dois lados concordando que a empresa privada, nacional ou estrangeira, é mais competente para operar e oferecer ao usuário uma estrada de qualidade e eficiente para negócios e turismo. Isso posto, eis algumas observações razoáveis sobre o tema:
Modelo de concessão - o governo, poder concedente, dono da estrada, pode ou não cobrar pela outorga da concessão. No primeiro caso, seria como cobrar um aluguel. As duas modalidades têm justificativas. Quando cobra, o governo faz caixa para, por exemplo, investir em estradas menos rentáveis (modelo adotado em São Paulo). Quando há cobrança, ganha o leilão a empresa que oferecer o pagamento mais alto, dentro de um padrão para os pedágios. Obviamente, o custo da operação é maior, de onde sai um pedágio mais caro. Já no caso dos últimos leilões federais, o governo Lula decidiu não cobrar a outorga. Ganhou a empresa que ofereceu pedágio mais barato. É um critério mais simples, melhor para o usuário, pior para o governo. De todo modo, o governo Lula pode se dar ao luxo de perder essa receita, pois está arrecadando como nunca na história deste país.
Exigências impostas à concessionária mais ou menos investimentos no início do contrato, maior ou menor qualidade do piso, quando se inicia a cobrança do pedágio. No caso do último leilão das sete rodovias federais, técnicos dizem que há exigências menores para o piso, por exemplo. A cobrança do pedágio é imediata, enquanto no caso das privatizações feitas em S.Paulo (governo Mario Covas) essa cobrança se fazia depois de feita parte das obras. Com isso, o fluxo de caixa é menor, o custo da operação é maior. O ambiente macroeconômico em momento de instabilidade, inflação e desarranjo das contas públicas, as empresas privadas só fazem negócio com o governo se tiverem garantias de que a rentabilidade não será reduzida. Preços começam mais elevados para prevenir choques futuros, como inflação ou desvalorização da moeda local. Por exemplo: a empresa estrangeira topa um pedágio de R$ 1,80, equivalente a um dólar. De repente, o real se desvaloriza e a cotação vai a R$ 3,60, fazendo com que a tarifa caia a meio dólar. E é evidente que o ambiente macroeconômico hoje é muito superior ao do momento em que foram feitas as concessões mais antigas. Há razoável convicção de que não haverá inflação, que os juros vão cair e que o dólar não vai disparar.
Capacidade das empresas privadas concessão de rodovias (e outros serviços) é um negócio relativamente novo. Só agora existem muitas companhias internacionais, entre as quais as espanholas, que desenvolveram enorme capacidade no setor. O aeroporto de Heathrow, em Londres, é de propriedade de uma empreiteira espanhola. Por isso, no último leilão brasileiro, apareceram tantas empresas competindo. Isso é outro fator que derruba preços. E mais: pedágio barato não é garantia de sucesso da operação. Em alguns países, como no México, o fracasso de concessões de rodovias teve como causa justamente o preço baixo do pedágio e prazos menores de concessão (abaixo dos 20 anos).
Com isso, as concessionárias, a um determinado momento, perceberam que não obteriam o retorno do capital e pararam de investir. O barato saiu caro.
Por isso, cuidado com as comparações entre os preços da última licitação e os anteriores. O que sabemos é que as atuais estradas privatizadas vão muito bem, obrigado. São as melhores do país, têm o menor número de acidentes.
O modelo funcionou. O novo modelo, dos pedágios baratos, ainda não foi testado e só vai ser testado mesmo sabem quando? No próximo governo, no mesmo período, 2010/11, em que se saberá se o novo modelo lulista deu conta do fornecimento de energia.

É preciso admitir: na política e na mídia, o cara é craque.

Publicado em O Estado de S.Paulo, 15 de outubro de 2007

TV PT


Feliz cidadão brasileiro: rejubile-se! Você que já tem um governo competente agora vai ter uma rede de TV onde o governo do PT vai falar direto com você. Nada de estórias de mensalão, nada de compra de deputados, nada de trapalhadas e vexames em viagens ao exterior, nada de aparelhamento do estado com "companheiros" despreparados... e todas essas coisas que só interessam à imprensa dazelites.
A REDE PT, COM SUA TV Lulla VEM AÍ! ( Tremei imprensa burguesa!)
Não perca, companheiro! Acaba de ser divulgada a programação do primeiro dia da Rede pública de TV:
*6:30 MST Rural - Apresentação José Rainha e João Pedro Stédile;
*7:00 Quatro Dedos de Prosa - papo-cabeça com o Presidente Lula;
*7:30 Ela fala! : Marisa Letícia comanda um programa de variedades. Hoje o tema será jardinagem: " Como fazer uma estrela vermelha no seu jardim".
*8:00 Turismo e Sexualidade - Com a ministra Marta Suplicy.
*9:00 Moda Brasil - Marisa Letícia - que realmente fala! - retorna, hoje com o tema " Bolsas, um acessório indispensável", abordando as bolsas-família, esmola, bandido, etc...
*10:00 Filme: "Apertem os Cintos, os Controladores de vôo sumiram!" - estrelando Valdir Pires e Grande Elenco;
*12:00 PAC man - Estrelando Guido Mantega, embrulhando mais um pacote;
*13:30 PT Music - Com Lula, Mantega, Vicentinho e o Coral dos Língua-presas;
*13:00 Casos de Polícia - Cada dia um caso novo dos últimos 4 anos ( a programação já está pronta até 2059! ). Episódio de hoje: " O churrasqueiro da Granja do torto". Amanhã : " Espiando a conta do caseiro". Aguarde as mini-series com Roberto Jefferson, José Dirceu, Delúbio Soares, Antônio Pallocci e muito, mas muito mais!...
*14:00 A Escolinha do Professor Luizinho - Com o próprio;
*14:30 Vale a pena ver de novo - Repetindo as reformas ministeriais de Lula;
*15:00 Filme: "Querida, encolhi o PIB!" - Com o ganhador do "oscar" Lula da Silva;
*17:00 Sessão Contos de Fada: Episódio de hoje: "Nunca antes na História desse País" - Narração - Lulinha paz e amor;
*19:00 Pequenas Empresas Grandes Negócios - como ficar milionário em um mandato - A incrível História do monitor de Zoológico que se tornou mega-empresário do dia para a noite - Estrelando: Lulinha;
*19:30 "O gás acabou": Novela estrelada por Evo Morales;
*20:00 Jornal Sensacional: As notícias sobre as realizações do PT. Nunca antes nesse país se fez um programa de humor negro igual...
*21:00 Novela: "Páginas do Diário Oficial" - (impróprio para menores );
*22:00 Filme: "Os bom companhêro" - Com Lula, de novo;
*22:30 O Companheiro Aprendiz: Um grupo de jovens companheiros luta para decidir quem vai descolar um cargo vitalício num ministério em Brasília. Comandado por zé Dirceu;
*23:00 Mini-série: Voltas ao mundo em 8 anos: As viagens maravilhosas do companheiro Lula. Cada dia um vexame em um país diferente;
*00:00 Filosofando: Se o Mundo é uma bola, futebol é exemplo pra tudo... - Apresentação, Luís Inácio;
*2:00 Filme: "O Estado Sou Eu - A história de Luís XIII do Brasil" - Estrelando: Lula de novo;
*4:00 Comando da madrugada - ao vivo do pontal do Paranapanema, com a programação do MST para as invasões do dia.
(Recebido por e-mail sem autoria)

quarta-feira, outubro 17, 2007

Frases literárias


"Elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado sutil de se deixar distinguir".
Paul Valery

Entre Nós, o Coração!

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm

E assim nas calhas de roda Gira,
a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.
*
Fernando Pessoa

terça-feira, outubro 16, 2007

Alckmin descarta candidatura à Presidência

Choque de realismo: o grão-tucano Geraldo Alckmin, candidato derrotado do PSDB na eleição de 2006, informou que não pretende candidatar-se de novo à presidência da República em 2010. Um informe desnecessário, já que ninguém, nem mesmo os companheiros de partido de Alckmin, contam com a participação dele no pleito.

Escrito por Josias de Souza às 16h29

Exóticos

Filhote de peixe-caixa achado na região mede apenas 1 cm (Foto: Michael Aw/France Presse)


Expedição conjunta foi realizada no mar das Célebes, no sul das Filipinas. Área é uma das mais ricas do Pacífico em biodiversidade marinha.
No G1

Uma expedição conjunta de pesquisadores americanos e filipinos obteve imagens impressionantes da fauna das profundezas do mar das Célebes, no chamado Triângulo dos Corais do Pacífico. O estudo, liderado pelo Instituto Oceanográfico Woods Hole e pela National Geographic Society, atingiu áreas a cinco quilômetros de profundidade, registrando a presença de uma série de espécies únicas de vertebrados e invertebrados marinhos.

A pluralidade e a revolução dos idiotas

REINALDO AZEVEDO
Na Folha de São Paulo de 15.10.07
O empresário Ferréz, ao lado de Mano Brown, é um bibelô mimado pelas esquerdas e pelo pensamento politicamente correto
HÁ UMA revolução em curso: a dos idiotas. Eles começam agredindo a lógica e terminam justificando o assassinato. Voltarei a esse ponto. Na semana passada, o escritor e rapper Ferréz escreveu um artigo neste espaço em que tratou do assalto de que Luciano Huck foi vítima. Lê-se: "No final das contas, todos saíram ganhando, o assaltado ficou com o que tinha de mais valioso, que é sua vida, e o correria ficou com o relógio. Não vejo motivo pra reclamação, afinal, num mundo indefensável, até que o rolo foi justo pra ambas as partes". Ele não pode ser mal interpretado porque não pode ser bem interpretado: fez a apologia do crime, o que é crime. Será este jornal tão pluralista que admite alguém como Ferréz? Será este jornal tão pluralista que admite alguém como eu? Lustramos ambos o ambiente de tolerância desta Folha? A resposta é "não". O artigo do tal é irrespondível. Vou eu lhe dizer que o crime não compensa? Ele tem motivos para acreditar que sim. Lênin mandaria que lhe passassem fogo -não sem antes lhe expropriar o relógio. Apenas sugiro ao jornal que corrija seu pé biográfico: ele é um empresário; o bairro do Capão Redondo é seu produto, e a voz dos marginalizados, o fetiche de sua mercadoria. Ir além na contestação de seu libelo criminoso seria reconhecê-lo como voz aceitável na pluralidade do jornal. Eu não reconheço. Na democracia, o direito à divergência não alcança as regras do jogo. Um democrata não deve, em nome de seus princípios, conceder a seus inimigos licenças que estes, em nome dos deles, a ele não concederiam se chegassem ao poder. Ao publicar aquele artigo, a Folha aceita que potencialmente se solapem as bases de sua própria legitimidade. Errou feio. O poeta Bruno Tolentino é autor de um verso e tanto: "A arte não tem escrúpulos, tem apenas medida". O mesmo vale para a ação política. Idealmente, há quem ache que o mundo seria melhor sem propriedade privada -eu acredito que, sem ela, estaríamos de tacape na mão, puxando as moças pelos cabelos. Posso acalentar quantos sonhos quiser, sem escrúpulos. Mas o regime democrático tem medidas. Uma delas é o respeito às leis -inclusive às leis que regulam a mudança das leis. Se admitimos a voz do assalto, por que não a da pedofilia, a do terrorismo, a da luta armada, a do racismo? Aceito boas respostas. O empresário Ferréz, ao lado de Mano Brown, é um bibelô mimado pelas esquerdas e pelo pensamento politicamente correto, para quem o crime é uma precognição política a caminho de uma revelação. Tal suposição, somada à patrulha que tentou transformar Luciano Huck no verdadeiro culpado pelo assalto, contribuiu para esconder um fato relevante. A cidade de São Paulo teve 49,3 homicídios por 100 mil habitantes em 2001. Em 2006, 18,39 (uma redução de 62,69%). Em 2001, havia presas no Estado 67.649 pessoas; em 2006, 125.783 (crescimento de 85,93%). Não é espantoso? Quanto mais bandidos presos, menos crimes. Quanto mais eficiente é a polícia, menos mortos. Eis que, no dia 11, abro esta mesma página e dou de cara com um artigo de Sérgio Salomão Shecaira. Escreve: "(...) O Estado de São Paulo concentra quase a metade dos cerca de 419 mil presos brasileiros (...). Enquanto, no Brasil, existem 227,63 presos por 100 mil habitantes, em São Paulo essa relação salta para 341,98 por 100 mil habitantes". Ele está descontente. Quer prender menos: "Enquanto, no Estado de São Paulo, em 2005, houve 18,9 homicídios por 100 mil habitantes, no Rio de Janeiro a cifra foi de 40,5, e, em Pernambuco, de 48. No entanto, nesses dois últimos Estados, o número relativo de presos é bem menor que o paulista". Shecaira é mestre e doutor em direito penal e professor associado da Faculdade de Direito da USP. Mas ainda não descobriu a lógica, coitado! Ora, por que será que São Paulo tem, por 100 mil, menos da metade dos homicídios que tem o Rio e quase um terço do que tem Pernambuco? Porque há mais bandidos na cadeia! Mas ele quer menos. Logo... Em vez de Ferréz se alfabetizar politicamente no contato com Shecaira, é Shecaira quem se analfabetiza no contato com Ferréz. A tragédia não é recente. Aconteceu com a universidade: em vez de ela fornecer teoria aos sindicatos, foram os sindicatos que lhe forneceram táticas de greve. Em vez de Marilena Chaui ensinar ao companheiro as virtudes do pensamento, foi o companheiro que explicou a Marilena por que pensar é uma bobagem. A minha pluralidade não alcança tolerar idiotas que querem destruir o sistema de valores que garantem a minha existência. E, curiosamente, até a deles.

Blog Democratas

Foto: Antonio Cruz/ABr

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, ergue uma sucuri durante visita a instalações militares na cidade de Tabatinga, no Amazonas. Repare na pose de Jobim. Fantasiado de militar, ele se esforça para parecer um caçador valente e destemido. Tudo para tentar aparecer nas primeiras páginas dos jornais do Rio e São Paulo, nesta segunda-feira, 15. Uma fraude sem tamanho. Coitada da sucuri, nunca antes neste país uma cobra foi obrigada a pagar um mico deste. Se cobra falasse, a sucuri certamente iria protestar contra tanta canastrice. E ainda diria, com sarcasmo: "por que ele não experimenta fazer esta foto com a Dilma Roussef?". Pois é, até as sucuris já sabem que o ministro só mexe com cobra sem veneno.

segunda-feira, outubro 15, 2007

Frases literárias


Durante anos procuramos encontrar alguém que nos compreenda,
alguém que nos aceite como somos,
capaz de nos oferecer a felicidade,
apesar das duras provas.
Apenas ontem descobri que esse mágico alguém é o
rosto que vemos nos espelho"


(Richard Bach)

domingo, outubro 14, 2007

Deus nos acuda!

Na Veja

Lula admite nova disputa em 2014
14 de Outubro de 2007

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que pode disputar a presidência da República em 2014, em busca do seu terceiro mandato e descartou nova reeleição em 2010. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo neste domingo, o presidente disse que a disputa em 2014 dependerá da conjuntura do momento. "Essa coisa, se tiver de acontecer, a conjuntura do momento vai indicar. Até porque quero dar um exemplo de ex-presidente: quero deixar a presidência e não vou virar palpiteiro."

Começou o horário de verão

sábado, outubro 13, 2007

Homenagem a Paulo Autran em" Retrato" de Cecília Meireles

Nem considero o melhor momento de Paulo Autran.

Poema maravilhoso - "Retrato"...de Cecilia Meireles,

Mas "Eles" serão eméritos por todo o sempre...

Foi com eles que aprendi a amar.

Louvaveis, para sempre, seus talentos!

Suas forças, talento e beleza,

não postado em "Retrato", mas em suas riquesas.

Que se possam estar banhando nessa imenssidão!

Paulo Autran - O Senhor dos Palcos

*1922 † 2007

"Sou apenas um homem de teatro. Sempre fui e sempre serei um homem de teatro. Quem é capaz de dedicar toda a sua vida à humanidade e à paixão existentes nestes metros de tablado, esse é um homem de teatro."

Do Estado de São Paulo - Reportagem completa aqui

sexta-feira, outubro 12, 2007

No dia da Padroeira do Brasil


...que saudade que tenho...



Meus Oito Anos

"Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus
— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais"


Casimiro de Abreu

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails